Mercado abrirá em 4 h 58 min
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,82 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,44 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,30
    +0,54 (+0,64%)
     
  • OURO

    1.796,80
    +0,50 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    62.027,97
    +1.246,07 (+2,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,70 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,92 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.177,27
    +50,34 (+0,19%)
     
  • NIKKEI

    28.600,41
    -204,44 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    15.377,50
    +36,50 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5781
    -0,0027 (-0,04%)
     

Disparos fatais abalam Beirute em meio a tensão de inquérito sobre explosão

·2 minuto de leitura

BEIRUTE (Reuters) - Ao menos duas pessoas foram mortas em Beirute nesta quinta-feira quando disparos intensos visaram apoiadores do grupo xiita libanês Hezbollah quando estes seguiam para um protesto que exigia o afastamento do juiz que investiga a explosão do ano passado no porto da cidade.

Os tiros na linha de frente da guerra civil de 1975-90 marcam parte dos piores atritos civis no Líbano em anos, e ressaltam uma crise política crescente em reação ao inquérito sobre a explosão catastrófica de 4 de agosto de 2020.

O Exército libanês informou em um comunicado que os tiros visaram manifestantes, enquanto estes passavam por uma rotatória localizada em uma área que divide bairros cristãos e muçulmanos xiitas.

O primeiro-ministro libanês, Najib Mikati, pediu calma. Uma fonte militar disse à Reuters que duas pessoas foram mortas e outras sete ficaram feridas.

Os disparos partiram do bairro cristão de Ain el-Remmaneh e depois degeneraram em uma troca de tiros, acrescentou a fonte.

A televisão Al-Manar do Hezbollah disse que "dois mártires" e vários feridos foram levados a um hospital dos subúrbios xiitas do sul, indicando assim a etnia das vítimas.

Rompantes de tiros foram ouvidos durante várias horas, assim como várias explosões que pareceram ser granadas impulsionadas por foguetes que foram disparadas para o alto, disseram testemunhas da Reuters.

O Exército libanês se mobilizou intensamente na área e disse que abrirá fogo contra qualquer pessoa armada nas ruas.

As tensões políticas causadas pelo inquérito a respeito da detonação no porto aumentam, e o Hezbollah, grupo fortemente armado e apoiado pelo Irã, lidera os pedidos de afastamento do juiz Tarek Bitar, acusando-o de ser tendencioso.

A explosão matou mais de 200 pessoas e devastou partes de Beirute.

O impasse a respeito da investigação de Bitar está desviando a atenção do governo recém-formado do enfrentamento de um dos piores colapsos econômicos da história.

O juiz tenta interrogar vários políticos graduados e autoridades de segurança, incluindo aliados do Hezbollah, suspeitos de uma negligência que levou à explosão portuária, causada por uma quantidade enorme de nitrato de amônia.

Todos negaram culpa.

Embora nenhum de seus membros seja alvo da investigação, o Hezbollah acusa Bitar de realizar um inquérito politizado que se concentra em determinadas pessoas.

Na manhã desta quinta-feira, um tribunal rejeitou uma queixa legal contra Bitar, mostraram documentos, permitindo que ele prossiga com seu trabalho.

(Por Maha El Dahan, Alaa Kanaan e Laila Bassam)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos