Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.131,73 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,63 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -1,53 (-2,86%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -23,70 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    37.699,82
    +1.593,97 (+4,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,26 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +77,00 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,08 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -142,00 (-1,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    +0,0791 (+1,25%)
     

Disparam encomendas de robô brasileiro que alimenta suínos enquanto toca música clássica

Por Ana Mano
·2 minuto de leitura
Robô da Roboagro alimenta porcos enquanto toca música clássica

Por Ana Mano

SÃO PAULO (Reuters) - A demanda por um robô brasileiro que alimenta suínos enquanto toca música clássica disparou neste ano, em um momento em que os criadores buscam cortar custos em meio à pandemia de Covid-19.

A Roboagro, empresa de Caxias do Sul que vende a engenhoca, disse em um comunicado enviado à Reuters nesta quinta-feira que os pedidos aumentaram em média 400%, para 60 unidades por mês.

A máquina que alimenta os animais, acomodados baias, garante que eles recebem a quantidade exata de ração em cada refeição. Enquanto avança entre os compartimentos, o robô toca música clássica, o que a empresa afirma aliviar o estresse dos porcos em fase de engorda.

O diretor da Roboagro, Giovani Molin, afirmou em nota que o robô reduz a presença de humanos nas criações de porcos, além de gerar dados que ajudam a melhorar o gerenciamento geral do rebanho.

A ração corresponde por até 75% dos custos de produção de suínos, e cada centavo conta em meio a uma forte alta nos preços dos grãos, devido à demanda aquecida.

Segundo a Roboagro, os produtores que utilizam a tecnologia podem melhorar o índice de conversão alimentar dos animais, aumentando o seu rendimento. O robô pode gerar uma economia anual de cerca de 40 mil reais a cada lote de mil animais, disse a empresa, em cálculo que não inclui custos de mão de obra.

A Roboagro afirma que seu robô é utilizado em cerca de 500 granjas no Brasil, incluindo fornecedoras de grandes frigoríficos, como a JBS e a BRF, que enfrentaram surtos de Covid-19 em suas instalações.

O Brasil, um grande produtor de proteína animal, aumentou o volume de exportações de carne suína em 40% nos dez primeiros meses deste ano. Esse comércio gerou 1,87 bilhão de dólares em receita, alta de quase 50%, diante da firme demanda chinesa.

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 56447745))