Mercado fechado
  • BOVESPA

    118.328,99
    -1.317,01 (-1,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.810,21
    -315,49 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,04
    -0,09 (-0,17%)
     
  • OURO

    1.869,50
    +3,60 (+0,19%)
     
  • BTC-USD

    31.002,48
    -3.949,20 (-11,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    608,80
    -71,11 (-10,46%)
     
  • S&P500

    3.853,07
    +1,22 (+0,03%)
     
  • DOW JONES

    31.176,01
    -12,39 (-0,04%)
     
  • FTSE

    6.715,42
    -24,97 (-0,37%)
     
  • HANG SENG

    29.927,76
    -34,74 (-0,12%)
     
  • NIKKEI

    28.756,86
    +233,56 (+0,82%)
     
  • NASDAQ

    13.384,25
    -11,25 (-0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5084
    +0,1004 (+1,57%)
     

Disney se une ao boicote contra Facebook, diz jornal

Marcus Couto
·2 minuto de leitura
Disney se une ao movimento de boicote ao Facebook. (Foto: Jakub Porzycki/NurPhoto via Getty Images)
Disney se une ao movimento de boicote ao Facebook. (Foto: Jakub Porzycki/NurPhoto via Getty Images)

O gigante conglomerado de mídia e entretenimento Disney, proprietária de marcas como Marvel e Pixar, se juntou ao boicote publicitário ao Facebook, segundo reportagem do Wall Street Journal. Assim, a empresa se junta a outras gigantes do mundo corporativo, como Unilever, Coca-Cola e Starbucks, que limitaram seus investimentos na plataforma de Mark Zuckerberg.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

O movimento de boicote de empresas ao Facebook começou depois que organizações de direitos civis acusaram a rede social de fazer pouco para impedir a disseminação de conteúdo de ódio na plataforma. Um exemplo foi o post do presidente Donald Trump que ameaçava manifestantes com tiros, e que não foi alterado pela direção da rede social.

Leia também

Inicialmente, empresas como North Face e Patagonia, conhecidas por seus posicionamentos progressistas, deram o primeiro passo e anunciaram o congelamento de seus investimentos publicitários no Facebook. Foram então seguidas por grandes cadeias de alimentação e de bens de consumo.

A adição da Disney ao movimento traz peso a ele. Para se ter uma ideia, em 2020, a Disney investiu mais de US$ 210 milhões no Facebook para promover apenas um produto, a plataforma de streaming Disney+. As informações são da consultoria Pathmatics, reproduzidas pela Época Negócios.

O Facebook respondeu ao movimento, salientando que hoje mantém uma série de estratégias, incluindo moderação humana e uso de inteligência artificial para impedir a propagação de conteúdo relacionado a discurso de ódio.

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.