Mercado abrirá em 1 h 32 min
  • BOVESPA

    108.782,15
    -194,55 (-0,18%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.081,33
    -587,31 (-1,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,02
    +1,78 (+2,30%)
     
  • OURO

    1.768,70
    +13,40 (+0,76%)
     
  • BTC-USD

    16.492,71
    +279,82 (+1,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    389,55
    +9,26 (+2,44%)
     
  • S&P500

    3.963,94
    -62,18 (-1,54%)
     
  • DOW JONES

    33.849,46
    -497,57 (-1,45%)
     
  • FTSE

    7.526,29
    +52,27 (+0,70%)
     
  • HANG SENG

    18.204,68
    +906,74 (+5,24%)
     
  • NIKKEI

    28.027,84
    -134,99 (-0,48%)
     
  • NASDAQ

    11.666,00
    +49,75 (+0,43%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5709
    +0,0217 (+0,39%)
     

Disney+ anuncia aumento na mensalidade e plano com anúncios

Disney+ aumentou o valor do seu plano mensal para US$ 11 e instituiu um plano com anúncios (Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
Disney+ aumentou o valor do seu plano mensal para US$ 11 e instituiu um plano com anúncios (Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
  • Plano com anúncios custará US$ 8, preço do antigo plano normal;

  • Plano premium da Disney+ passará para o valor de US$ 11;

  • Mudança deve chegar ao Brasil no próximo ano.

Seguindo a liderança da Netflix, a Disney+ anunciou um novo plano com anúncios em seu serviço de streaming. A ideia é, assim como sua rival, oferecer um plano mais barato para aumentar o número de clientes e compensar a receita perdida dos assinantes com anúncios comerciais.

A mudança já tem data para acontecer, pelo menos nos Estados Unidos: 8 de dezembro. Ao contrário da Netflix, que reformou seus preços, a Disney+ optou por um caminho mais simples. O plano atual, que custa US$ 8 passará a ter anúncios. Se os clientes não quiserem ter seus filmes e séries interrompidos pelos comerciais eles poderão optar por um plano de assinatura mais caro, que custará US$ 11.

Na conversão direta, esses valores equivalem a R$ 41 e R$ 57, respectivamente. Ainda não há previsão para a chegada desse modelo ao Brasil e nem quanto ele deverá custar. Os clientes poderão também realizar a compra anual, que oferece um desconto de dois meses no custo total. Para os clientes do plano básico ele sairá por US$ 80 (R$ 413), e do plano premium US$ 110 (R$ 568) por ano.

Segundo a empresa, os comerciais estão programados para aparecer por 4 minutos a cada hora assistida, e não serão passados em perfis infantis, que tem o catálogo limitado a produções destinadas a crianças. A medida foi bem vista pelos especialistas, que afirmam que as crianças são mais suscetíveis aos impulsos dos comerciais.

Estima-se que a novidade chegue em outros países, com o Brasil incluso, ainda em 2023. Atualmente o serviço é um dos mais caros do Brasil, custando R$ 27,90 por mês, ou R$ 279,90 no pacote anual. É possível ainda conseguir uma assinatura através de pacotes com outros serviços, como o Star+.