Mercado fechado

Diretoria do Vasco trabalha para respaldar Sá Pinto, mas vê insatisfação interna crescer

Nathalia Almeida
·1 minuto de leitura

Terceiro treinador do Vasco da Gama nesta temporada 2020, Ricardo Sá Pinto vive dias de pressão e insegurança em São Januário. Já questionado por uma ala da torcida - que abraçou (e muito!) sua vinda ao clube -, o luso também vem perdendo apoio nos bastidores do clube, clima austero que a alta cúpula cruzmaltina trabalha para amenizar.

De acordo com a apuração do UOL Esportes, diretoria e departamento de futebol vascaínos tentam passar tranquilidade e respaldo ao técnico e não cogitam a possibilidade de troca de comando, ao menos por ora. Contudo, é fato também que o setor de 'insatisfeitos' com os rumos do trabalho do recém-chegado aumentou consideravelmente a partir das derrotas para Ceará e Defensa y Justicia na última semana.

Vasco Da Gama v Defensa y Justicia - Copa CONMEBOL Sudamericana 2020 | Bruna Prado/Getty Images
Vasco Da Gama v Defensa y Justicia - Copa CONMEBOL Sudamericana 2020 | Bruna Prado/Getty Images

Entre profissionais do futebol vascaíno, há a sensação de que o trabalho de Sá Pinto ainda pode evoluir mas, para isso, será preciso blindar o técnico e também o elenco. O discurso acalorado de Andrey ao final da partida contra o Vozão, o destempero do técnico luso após o revés na Sul-Americana e o choro do goleiro Lucão escancaram um ambiente em frangalhos, desgastado e com as emoções à flor da pele.

Esse cenário não é inédito ao Cruzmaltino, muito pelo contrário: são três rebaixamentos somente neste milênio, e em todos o enredo se repetiu. Com 15 rodadas ainda por disputar, a hora de reunir forças e encontrar a tão sonhada 'paz' para evolução coletiva da equipe precisa ser agora, ainda que o entorno político e as dificuldades financeiras sigam minando a tranquilidade do clube carioca.