Mercado fechado

Diretora de nova encarnação do Drácula explica como ele será fiel a Bram Stoker

Laísa Trojaike

A Blumhouse trouxe recentemente mais um terror de sucesso com O Homem Invisível de Leigh Whannell, que revigorou os monstros da Universal. A mesma produtora promete repaginar o clássico Drácula pelas mãos da diretora Karyn Kusama, de Æon Flux e Garota Infernal.

Após o anúncio do novo Drácula, em março, Kusama revelou ao The Kingcast em que medida o seu personagem será diferente dos demais:

É uma adaptação bastante fiel do romance de Bram Stoker. É o que vou dizer. Acho que algo esquecido nas adaptações do passado é a ideia de múltiplas vozes e, de fato, o livro tem diferentes pontos de vista. O único ponto de vista ao qual não temos acesso — e a maioria das adaptações dá acesso — é o do próprio Drácula. Então, eu diria que a adaptação será chamada Drácula, mas talvez não seja o mesmo tipo de herói romântico que vimos nas adaptações anteriores.

Imagem: Reprodução/Universal

Kusama também garantiu que o filme será fortemente guiado pelo romance de Bram Stoker, evitando a criação de uma versão moderninha do personagem. Como pudemos ver na citação acima, ela também trará a perspectiva do próprio Drácula, já que o livro alterna as narrativas em primeira pessoa de Mina Murray Harker, Jonathan Harker e Dr. Seward.

No gênero terror, Kusama chamou a atenção com O Convite (2015). Depois disso, a cineasta se envolveu com séries e fez um dos segmentos de XX (2017). Seu próximo trabalho, a ser lançado em 2020, é a direção do primeiro episódio do seriado dramático Yellowjackets. O filme mais aguardado da Blumhouse na sequência é You Should Have Left, que chegou nesta sexta-feira (19) às plataformas de streaming dos EUA.

Os monstros da Universal finalmente estão sendo revisitados com o respeito e a qualidade que merecem e, após O Homem Invisível, agora é a vez de Drácula, que será atualizado, mas respeitando o livro de Bram Stocker

Fonte: Canaltech