Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.764,26
    +3.046,32 (+2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.853,37
    +392,82 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,88
    -2,46 (-2,61%)
     
  • OURO

    1.818,90
    +11,70 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    24.482,57
    +361,75 (+1,50%)
     
  • CMC Crypto 200

    574,64
    +3,36 (+0,59%)
     
  • S&P500

    4.280,15
    +72,88 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    33.761,05
    +424,38 (+1,27%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.580,00
    +268,75 (+2,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2024
    -0,1213 (-2,28%)
     

Diretor da Roscosmos é demitido por Putin

Num ato surpreendente, o Presidente da Rússia, Vladimir Putin, demitiu o bombástico Dmitry Rogozin, agora ex-diretor da agência espacial do país (|Roscosmos). A decisão foi comunicada nesta sexta-feira (15) em um curto decreto de dois parágrafos entitulado "Sobre D.O. Rogozin".

A causa da demissão não foi anunciada. Rogozin será substituído por Yuri Borisov, que ocupava o cargo de vice primeiro-ministro russo de espaço e defesa. A decisão entra em efeito imediatamente.

Rogozin assumiu o cargo de diretor da Roscosmos em 2018. Ferozmente leal a Putin e à linha oficial do governo, ele passou os últimos quatro anos ameaçando parceiros como os EUA e a ESA, especialmente desde o ínicio da invasão russa à Ucrânia.

Desde fevereiro ele ameaçou abandonar o astronauta norte-americano Mark Vande Hei em órbita, suspendeu a venda de motores de foguete russos para empresas dos EUA, sugerindo que voassem em "vassouras", e até mesmo sugeriu deixar a ISS cair sobre os EUA caso o governo norte-americano impusesse sanções à indústria aeroespacial de seu país.

Dmitry Rogozin (à esquerda), ex-diretor da Roscosmos. (Imagem: SpaceNews/Jeff Foust)
Dmitry Rogozin (à esquerda), ex-diretor da Roscosmos. (Imagem: SpaceNews/Jeff Foust)

Recentemente cosmonautas russos a bordo da ISS exibiram as bandeiras de Luhansk e Donetsk, territórios ucranianos ocupados por forças russas. As imagens foram publicadas no canal oficial da Roscosmos no Telegram, acompanhadas de mensagens celebrando a "libertação" das regiões.

Embora não fosse assinada por Rogozin, a publicação da mensagem e fotos em um canal oficial da Roscosmos foi tão ultrajante que gerou uma reação oficial da NASA, que normalmente se abstém de comentar a tensa situação política entre a Rússia e EUA e tenta passar uma sensação de normalidade nas operações da ISS.

"A NASA repreende fortemente a Rússia por usar a Estação Espacial Internacional para fins políticos para apoiar sua guerra contra a Ucrânia", disse a NASA em um comunicado. "Isso é fundamentalmente inconsistente com o objetivo principal da estação entre os 15 parceiros internacionais de avançar a ciência e desenvolver tecnologia para fins pacíficos".

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos