Mercado fechará em 26 mins
  • BOVESPA

    107.253,29
    +1.006,14 (+0,95%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.347,31
    +953,28 (+1,89%)
     
  • PETROLEO CRU

    112,00
    +2,41 (+2,20%)
     
  • OURO

    1.839,20
    +23,30 (+1,28%)
     
  • BTC-USD

    30.011,21
    +798,70 (+2,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    667,35
    +15,12 (+2,32%)
     
  • S&P500

    3.902,77
    -20,91 (-0,53%)
     
  • DOW JONES

    31.264,83
    -225,24 (-0,72%)
     
  • FTSE

    7.302,74
    -135,35 (-1,82%)
     
  • HANG SENG

    20.120,68
    -523,62 (-2,54%)
     
  • NIKKEI

    26.402,84
    -508,36 (-1,89%)
     
  • NASDAQ

    11.904,50
    -31,00 (-0,26%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1995
    -0,0188 (-0,36%)
     

Diretor da OMS faz apelo a favor do direito ao aborto

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus (AFP/Fabrice COFFRINI) (Fabrice COFFRINI)

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) fez um apelo nesta quarta-feira (4) a favor do direito ao aborto, coincidindo com a possibilidade de que a Suprema Corte dos Estados Unidos o anule.

"Restringir o acesso ao aborto não reduz o número de procedimentos, apenas leva as mulheres e meninas a realizar procedimentos inseguros", disse Tedros Adhanom Ghebreyesus no Twitter, sem mencionar diretamente os Estados Unidos.

"O acesso ao aborto seguro salva vidas", enfatizou o chefe da OMS.

Nos Estados Unidos, o site de notícias Politico revelou na segunda-feira um documento interno que aponta que a maioria dos juízes da Suprema Corte está disposta a enterrar a decisão Roe vs. Wade de 1973, que protege o direito das mulheres americanas de interromper sua gravidez.

A Suprema Corte confirmou a autenticidade do texto -- um projeto de sentença datado de fevereiro -- mas destacou que não representa uma decisão "definitiva".

Tedros afirmou nesta quarta-feira no Twitter que "as mulheres devem ter sempre o direito à escolha quando se trata de seu corpo e sua saúde".

Segundo a OMS, os abortos inseguros causam cerca de 39.000 mortes por ano em todo o mundo e fazem com que milhões de mulheres sejam hospitalizadas por complicações.

A maioria dessas mortes se concentram nos países de baixa renda --mais de 60% na África e 30% na Ásia-- e entre as pessoas mais vulneráveis.

apo/vog/pc/mb/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos