Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,13 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,50
    +0,46 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.763,90
    -10,90 (-0,61%)
     
  • BTC-USD

    35.914,46
    -2.046,80 (-5,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    888,52
    -51,42 (-5,47%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,37 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.801,27
    +242,68 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    28.964,08
    -54,25 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.103,00
    -62,50 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0361
    +0,0736 (+1,23%)
     

Diplomata cubana espera que Biden reverta políticas de Trump

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- As políticas de Cuba de Donald Trump agora são as de Joe Biden e têm um grande impacto na nação caribenha, segundo a diplomata cubana que negociou a reaproximação com os Estados Unidos em 2015.

Quase cinco meses após o início do governo Biden, autoridades em Havana estão surpresas com a posição da Casa Branca, que até agora não teve mudanças, disse a embaixadora no Canadá, Josefina Vidal, em entrevista. Citando as promessas de campanha do presidente Biden, ela disse que Cuba espera que o líder dos EUA reverta “pelo menos as medidas mais cruéis” impostas por seu antecessor.

Trump fez forte pressão sobre o governo de Cuba, acusado de frustrar tentativas de derrubar o presidente Nicolás Maduro na Venezuela e de continuar a abusar dos direitos humanos no país. Sob Trump, os Estados Unidos proibiram navios de cruzeiro de fazerem escala na ilha, restringiu voos e remessas de americanos.

Trump também permitiu que ações judiciais fossem abertas devido à apropriação de propriedades durante a revolução de 1959 que levou Fidel Castro ao poder e - em suas últimas semanas no cargo - voltou a incluir Cuba na lista de patrocinadores do terrorismo.

“Desde aquele momento, vimos que tudo piorou”, disse Vidal na segunda-feira em Ottawa. “Vimos bancos estrangeiros fechando as contas de muitas entidades cubanas. Vimos fornecedores estrangeiros internacionais suspendendo seus contratos com Cuba.”

O governo Biden está revisando as políticas de Trump em relação ao governo de Havana, mas sinalizou que alterar as relações com a ilha não é prioridade. A abordagem dura de Trump em relação a Cuba e à Venezuela o ajudou a ganhar maior apoio na comunidade latina do sul da Flórida, ajudando seus esforços para manter a liderança no estado e seus 29 votos no Colégio Eleitoral na eleição do ano passado.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos