Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,74 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,34
    +2,19 (+3,21%)
     
  • OURO

    1.788,10
    0,00 (0,00%)
     
  • BTC-USD

    57.348,85
    +2.717,74 (+4,97%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,81 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,06 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,68 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,68 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.144,25
    +93,25 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3042
    +0,0660 (+1,06%)
     

Dinossauros herbívoros de pescoço longo sobreviviam em bandos, diz estudo

·2 min de leitura

Dinossauros do grupo Sauropodomorpha, herbívoros e com os pescoços longos, foram bem sucedidos na luta pela sobrevivência por andarem em bandos, de acordo com um novo estudo. Os pesquisadores analisaram restos de ovos e esqueletos de dinossauros jovens e adultos da espécie Mussaurus patagonicus, encontrados na Patagônia.

A localização, há 193 milhões de anos, traz a primeira evidência de rebanho de dinossauros, mostrando que as criaturas criavam seus filhotes em uma comunidade. A investigação descobriu que os fósseis eram de animais de todas as idades, e que os jovens começaram a caminhar sobre as quatro pernas antes de se tornarem bípedes na idade adulta. O maior espécime adulto encontrado teria chegado a pesar 1,7 toneladas.

Foram examinados mais de 100 ovos e esqueletos de Mussasaurus em uma área de apenas um quilômetros quadrados. A análise foi feita com imagens de raio-x, avaliando o interior dos ovos e identificando os embriões. Foi possível determinar a idade dos embriões com a contagem dos anéis de crescimento anuais que ficaram visíveis em finas fatias de osso da perna, observados no microscópio.

<em>Imagem: Reprodução/Scientific Reports</em>
Imagem: Reprodução/Scientific Reports

Muitos dos fósseis, que estavam próximos uns dos outros, estavam agrupados por idade, incluindo grupos de ovos e dinossauros juvenis, além de adultos sozinhos ou em pares. "Essa segregação nos diz que não se trata de uma simples estrutura familiar", conta Jahandar Ramezani, co-autor do estudo. "São colônias com muitos dinossauros que, basicamente, estavam tomando conta dos jovens e dos ovos juntos", completa.

Os sedimentos encontrados entre os fósseis indicam que o local era próximo a um lago de vida curta, e os pesquisadores acreditam que os dinossauros morreram após uma longa seca, sendo enterrados pela poeira trazida pelo vendo. A poeira contava também com cinzas vulcânicas, que possuem cristais minúsculos de zircão com altos níveis de urânio e que se transformam em chumbo com o tempo. Então, com base na quantidade dos elementos nos cristais, foi possível calcular a idade dos sedimentos, mostrando que o local tem mais de 193 milhões de anos.

O estudo completo foi publicado no Scientific Reports.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos