Mercado fechará em 1 h 19 min

Dinheiro é a maior preocupação de 74% dos brasileiros, diz pesquisa

A angústia causada pelo dinheiro já é sentida em outros campos da vida dos trabalhadores
A angústia causada pelo dinheiro já é sentida em outros campos da vida dos trabalhadores (Getty Image)
  • Grande parte dos brasileiros não estão conseguindo pagar contas e juntar dinheiro

  • Pesquisa aponta que a preocupação financeira tem tirado o sono dos trabalhadores

  • Falta de dinheiro afeta até as relações pessoais das famílias impactadas pela renda insuficiente

A cada quatro brasileiros, três estão angustiados por causa de dinheiro. Uma pesquisa da fintech Onze apontou que o número é maior do que a preocupação com a família, saúde e trabalho.

Durante o levantamento, só 17,8% dos entrevistados afirmaram que conseguem pagar todas as contas e poupar dinheiro ao fim do mês. Já 33,7% contaram que os gastos são maiores que a renda mensal.

A preocupação com o saldo bancário já é sentida em outros campos da vida dos trabalhadores. Mais de 59% das pessoas perdem o sono pela pela aflição de não conseguir pagar as contas, 54% dizem estar sem foco e um quinto dos entrevistados dizem esta com mau humor e impaciência com os colegas de trabalho.

"Levando em consideração que o dinheiro é a maior preocupação de 74% dos entrevistados e 31% afirmam ter seu rendimento afetado, chegamos a uma média de 25% de trabalhadores afetados pelo estresse financeiro. Ou seja, 1 em cada 4 trabalhadores CLTs", afirma o relatório.

A vida pessoal também tem sentido os impactos da aflição. Mais de metade dos ouvidos pelo levantamento dizem não ter energia para aproveitar o tempo com entes queridos, 47,9% já não têm mais paciência com a família e quase um terço das pessoas estão se desentendendo com o parceiro.

Sensação de ansiedade, pensamento constante sobre pagamentos de dívidas, irritabilidade, desânimo e medo do futuro são sensações que grande parte dos entrevistados relataram ter sentido.

Para reunir os dados, a pesquisa recebeu a resposta de 1.603 pessoas, todas elas trabalhadoras assalariadas em regime CLT. O recorte da amostra é ainda mais preocupante, uma vez que estatisticamente os trabalhadores de carteira assinada costumam ter renda maior que os informais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos