Mercado fechará em 6 h 58 min
  • BOVESPA

    109.951,49
    +2.121,77 (+1,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.125,01
    -210,50 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,56
    +0,09 (+0,11%)
     
  • OURO

    1.894,10
    +3,40 (+0,18%)
     
  • BTC-USD

    22.710,74
    -461,74 (-1,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    523,23
    -13,67 (-2,55%)
     
  • S&P500

    4.117,86
    -46,14 (-1,11%)
     
  • DOW JONES

    33.949,01
    -207,68 (-0,61%)
     
  • FTSE

    7.942,35
    +57,18 (+0,73%)
     
  • HANG SENG

    21.624,36
    +340,84 (+1,60%)
     
  • NIKKEI

    27.584,35
    -22,11 (-0,08%)
     
  • NASDAQ

    12.691,75
    +146,50 (+1,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5843
    +0,0169 (+0,30%)
     

Diferença salarial entre os gêneros vai aumentar, diz especialista

Diferença salarial entre homens e mulheres irá aumentar conforme a Geração Z entra no mercado de trabalho, disse Jonathan Haidt
Diferença salarial entre homens e mulheres irá aumentar conforme a Geração Z entra no mercado de trabalho, disse Jonathan Haidt
  • Geração Z verá o retorno da diferença salarial entre homens e mulheres, disse Jonathan Haidt;

  • Mulheres jovens tem maiores índices de depressão e ansiedade, afirmou o psicólogo;

  • Problema estaria na predominância das mídias sociais no cotidiano dos mais jovens.

A diferença salarial entre homens e mulheres ainda é uma realidade e, embora haja esforços dentro das empresas e dos governos para que isto mude, a tendência é que conforme a geração Z entre no mercado de trabalho esse problema fique ainda pior, afirmou Jonathan Haidt, psicólogo social e professor da Universidade de Nova York.

Em uma entrevista concedida ao Tunku Varadarajan no Wall Street Journal, Haidt abordou a crise geracional vivida pela Geração Z, em especial o dano na saúde mental que as mídias sociais têm causado nos jovens. Para o especialista, o aumento nas taxas de depressão nos últimos anos está ligada ao surgimento das redes sociais, especialmente o Instagram.

Esses problemas psicológicos, experienciados principalmente pelas mulheres, podem deixá-las deprimidas, ansiosas e menos inclinadas a correr riscos, afirmou Haidt. “As mulheres da Geração Z, por serem tão ansiosas, terão menos sucesso do que os homens da Geração Z”, disse.

Esses problemas podem impedir os avanços femininos nas carreiras e, em última instância, aumentar a disparidade salarial entre homens e mulheres nas últimas décadas. Além disso, os membros da Geração Z passam menos tempo juntos, e cresceram com uma infância vivida "em grande parte apenas pelo telefone". Segundo o especialista, "nunca houve uma geração tão deprimida, ansiosa e frágil".

Por outro lado, há fatores que podem ajudar a reverter o cenário apontado por Haidt. Estatisticamente, mulheres da Geração Z têm mais probabilidade de concluir um curso universitário do que homens da mesma geração, e isto pode ajudar a reduzir a disparidade salarial.

Ao mesmo tempo, segundo um artigo do Federal Reserve Bank de Boston, homens sem diploma universitário estão abandonando o mercado de trabalho, em parte porque acreditam que seus salários baixos impactam sua posição social. Desta forma, eles preferem ficar desempregados, o que não veem como um risco para as perspectivas de casamento e status social.