Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,33 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,48 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    -0,26 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -14,10 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    60.413,02
    +1.606,88 (+2,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,34 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,03 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,27 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,08 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    +63,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7625
    +0,1276 (+1,92%)
     

Diesel volta a subir nos postos do Brasil; gasolina e etanol também avançam

·2 minuto de leitura
Frentista abastece carro em posto de combustíveis em São Paulo, Brasil

SÃO PAULO (Reuters) - O preço médio do óleo diesel nos postos de combustíveis do Brasil voltou a subir, após estabilidade na semana passada que havia interrompido uma sequência de seis semanas de aumentos, mostraram dados da ANP nesta sexta-feira, que também indicaram elevação na gasolina e do etanol.

Segundo o órgão regulador, o valor médio do diesel --combustível mais utilizado no Brasil-- atingiu 4,274 reais por litro nas bombas, alta semanal de 1%.

A volta da tendência de alta vem em momento em que os preços dos combustíveis têm se mantido no centro de atenções no país, especialmente após a ameaça de uma greve de caminhoneiros no início de fevereiro e críticas do presidente Jair Bolsonaro a reajustes da Petrobras.

O descontentamento com os preços levou Bolsonaro anunciar em 19 de fevereiro alteração no comando da petroleira estatal, com a indicação do general da reserva Joaquim Silva e Luna para o lugar do atual CEO Roberto Castello Branco-- a substituição aguarda trâmites internos para ser efetivada.

O presidente também zerou temporariamente a incidência de PIS e Cofins sobre o diesel, em tentativa de frear os aumentos.

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) também registrou alta na gasolina, que avançou 1,8% na semana, ou 10 centavos, para média de 5,592 reais o litro.

O combustível engatou a 13ª semana seguida de aumento nos postos, de acordo com números da reguladora.

Já o etanol, concorrente da gasolina nas bombas, subiu 1,5%, para média de 4,184 reais por litro, em período marcado pela entressafra da cana-de-açúcar.

Nesta sexta, a Petrobras anunciou que entrará em vigor no sábado uma redução de cerca de 5% no preço da gasolina em suas refinarias, a primeira de 2021. O diesel não terá mudanças.

O movimento acompanhou em parte a queda do petróleo no mercado internacional e recuo na cotação do dólar ante o real.

Com o novo reajuste, o valor da gasolina nas refinarias da estatal acumula agora alta de 46% em 2021, enquanto o diesel subiu mais de 40% no período.

Os valores nos postos, no entanto, não acompanham necessariamente os reajustes nas refinarias e dependem de uma série de questões, incluindo margem de distribuição e revenda, impostos e adição obrigatória de biocombustíveis.

(Por Gabriel Araujo; Edição de Luciano Costa)