Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,54 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,81
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.812,50
    -18,70 (-1,02%)
     
  • BTC-USD

    41.533,91
    +1.842,39 (+4,64%)
     
  • CMC Crypto 200

    955,03
    +5,13 (+0,54%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,06 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.966,50
    -71,25 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1880
    +0,1475 (+2,44%)
     

Diesel e etanol recuam nos postos do Brasil na semana, aponta ANP; gasolina sobe

·2 minuto de leitura
.

SÃO PAULO (Reuters) - Os preços médios do óleo diesel e do etanol nos postos de combustíveis do Brasil recuaram na última semana, enquanto o valor da gasolina subiu no período, mostrou pesquisa da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) publicada nesta sexta-feira.

Segundo levantamento da reguladora, o preço médio do diesel nas bombas cedeu 0,22% em relação à anterior, atingindo 4,498 reais por litro.

Embora o valor do combustível mais consumido do Brasil se mantenha sem alterações bruscas desde meados de maio, tendo acumulado variação positiva de 0,35% desde então, esta é efetivamente a primeira queda registrada em oito semanas.

A pesquisa da ANP também indicou uma queda nos preços do etanol na semana. Segundo o levantamento, o valor médio do biocombustível recuou 1,06%, para 4,354 reais por litro, menor nível desde o início deste mês.

Por outro lado, a gasolina --que concorre com o etanol nas bombas-- avançou 0,22% na semana, alcançando preço médio de 5,695 reais por litro. Ainda que discreto, o movimento foi suficiente para fazer com que o combustível engatasse sua 11ª semana consecutiva de altas.

A Petrobras, que detém um virtual monopólio do refino de petróleo no Brasil, reduziu o valor da gasolina em suas refinarias em 2% no último dia 11 de junho, após mais de um mês sem reajustes, enquanto a cotação do diesel segue no mesmo patamar desde 1º de maio.

O presidente da estatal, Joaquim Silva e Luna, disse nesta sexta-feira em audiência de comissão da Câmara que a petroleira tem conseguido absorver a alta recente do petróleo em meio a uma queda na cotação do dólar frente ao real, fatores que a empresa leva em conta para definir sua política de preços.

Mas os preços nos postos não necessariamente acompanham de imediato os valores nas refinarias, e dependem de uma série de fatores, incluindo impostos, mistura de biocombustíveis e margens de distribuição.

(Por Gabriel Araujo; edição de Aluísio Alves)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos