Mercado fechado

Diagnosticado com covid, Trump é transferido para hospital nos Estados Unidos

João Conrado Kneipp
·5 minutos de leitura
US President Donald Trump walks from Marine One after arriving on the South Lawn of the White House in Washington, DC, October 1, 2020, following campaign events in New Jersey. - White House Chief of Staff Mark Meadows said on October 1, 2020, that he was optimistic about a rapid recovery for the president as he confirmed that Trump has "mild symptoms" after testing positive for Covid-19. "The president and the First Lady... remain in good spirits," Meadows told reporters. (Photo by SAUL LOEB / AFP) (Photo by SAUL LOEB/AFP via Getty Images)
Anúncio do diagnóstico por covid-19 foi feito por Trump nas redes sociais, na madrugada desta sexta. (Foto: SAUL LOEB/AFP via Getty Images)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, iniciou seu tratamento contra a recém-diagnosticada Covid-19 sem tomar a hidroxicloroquina. Defendido ferrenhamente por Trump como uma das formas de combate ao novo coronavírus, o medicamento não consta no boletim médico divulgado pela Casa Branca.

Agora no fim da tarde, Trump deixou a residência oficial com destino ao Hospital Militar Nacional de Walter Reed, em Bethesda, Maryland, onde ficará pelos próximos dias em uma ala especial com uma equipe de médicos à disposição.

A transferência foi classificada como “preventiva”, uma vez que o plano inicial era tratar a doença na Casa Branca durante o período de isolamento, conforme havia informado o médico do presidente, Sean Conley.

Leia também

“Por recomendação de seu médico e de especialistas médicos, o presidente trabalhará nos escritórios presidenciais do hospital de Walter Reed pelos próximos dias”, afirmou a assessora de imprensa Kayleigh McEnany.

Logo após embarcar em um helicóptero presidencial no gramado da Casa Branca, o presidente postou nas redes sociais um vídeo no qual agradece o apoio recebido e diz estar sentido-se bem apesar da transferência.

“Eu gostaria de agradecer a todos pelo enorme apoio. Eu estou indo ao Hospital Walter Reed, acredito que estou respondendo (à Covid) muito bem, mas vamos nos assegurar que as coisas estão indo bem. A primeira-dama está muito bem. Obrigado e não iremos esquecer (o apoio)”, afirmou Trump, em um curto pronunciamento.

De acordo com o boletim, publicado pela assessora, na tarde desta sexta-feira (2), no Twitter, Trump apresentou “com fadiga, mas de bom humor”. Já a primeira-dama, Melania Trump, que também está com Covid-19, está somente com “tosse leve e dor de cabeça”.

O relato médico do estado de saúde do presidente também atesta que Trump recebeu uma dose de oito gramas de um coquetel antiviral ainda em fase de testes nos EUA. Um coquetel complementar com vitaminas e minerais também foi administrado.

“Após a confirmação por (teste RT-)PCR do diagnóstico do presidente, como medida de precaução, ele recebeu uma dose única de 8 gramas do coquetel de anticorpos policlonais da Regeneron. Ele recebeu a infusão sem maiores problemas. Além dos anticorpos, o presidente vem tomando zinco, vitamina D, famotidina, melatonina e um analgésico por dia”, constata o boletim.

O anúncio do resultado positivo foi feito pelo próprio Trump nesta madrugada, nas redes sociais. “Esta noite, Melania e eu testamos positivo para covid-19. Começaremos nosso processo de quarentena e recuperação imediatamente. Vamos superar isso juntos", escreveu.

BIDEN TESTA NEGATIVO

O candidato democrata à presidência e adversário de Trump, Joe Biden, testou negativo para a Covid-19. A esposa, Jill, também não foi infectada. Na última terça-feira, 29, Biden esteve com Trump no debate presidencial.

O presidente está em isolamento social agora. No Twitter, Biden desejou melhor para Donald Trump e para a primeira dama.

GRAND RAPIDS, MICHIGAN - OCTOBER 02: Democratic presidential nominee Joe Biden delivers remarks in the parking lot of the United Food and Commercial Workers International Union Local 951 while campaigning October 02, 2020 in Grand Rapids, Michigan. Biden said he tested negative twice Friday for the coronavirus after it was reported that U.S. President Donald Trump and first lady Melania Trump tested positive for COVID-19. (Photo by Chip Somodevilla/Getty Images)
Presente junto com Trump no debate eleitoral na última terça-feira, o democrata Joe Biden testou negativo para a covid-19. (Foto: Chip Somodevilla/Getty Images)

“Estou feliz em anunciar que Jill e eu testamos negativo para Covid. Obrigada a todos pelas mensagens e pela preocupação. Eu espero que isso sirva como uma lembrança: use máscara, mantenha distanciamento social e lave as mãos”, escreveu.

O anúncio, a 32 dias das eleições presidenciais em que Trump está em desvantagem nas pesquisas ante o candidato democrata Joe Biden, já sacudiu a campanha: a Casa Branca cancelou a viagem que o republicano tinha programado para sexta-feira ao estado da Flórida, considerado crucial para a votação.

"Espero que o presidente continua cumprindo suas funções sem interrupção enquanto se recupera", completou Biden.

CONSELHEIRA INFECTADA

A especulação sobre um possível contágio do presidente explodiu na quinta-feira à noite, depois que a imprensa americana informou que Hope Hicks, uma conselheira muito próxima de Trump, testou positivo para o novo coronavírus.

Hope Hicks estava a bordo do Air Force One com o presidente quando ele viajou a Cleveland, Ohio, na terça-feira para participar no debate contra Biden. Também viajou na quarta-feira com Trump a Minnesota para um comício de campanha.

Trump confirmou durante uma entrevista ao canal Fox News o resultado do teste de Hicks e disse que ele e Melania foram submetidos a exames.

"Ela testou positivo", disse Trump sobre Hicks. "Usa muitas máscaras, mas testou positivo". "Vocês sabem que passo muito tempo com Hope, assim como a primeira-dama", completou o presidente.

O presidente americano era submetido regularmente a testes de covid-19, mas a frequência exata dos exames nunca foi divulgada.

Os colaboradores que trabalham na "Ala Oeste" da Casa Branca são avaliados diariamente, assim como os jornalistas que entram nesta área da residência oficial ou viajam com o presidente.

Os Estados Unidos lideram a lista de países mais afetados pela covid-19, com mais de 206.000 mortes e 7,2 milhões de contágios.

Pouco depois do anúncio do teste positivo de Trump, vários líderes mundiais desejaram uma pronta recuperação ao presidente americano e à primeira-dama, incluindo o diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, o chefe de Governo britânico Boris Johnson, o presidente do Conselho Europeu Charles Michel e o governo da Rússia.