Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.731,08
    +2.352,16 (+2,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.860,97
    +593,77 (+1,40%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,88
    +1,82 (+4,23%)
     
  • OURO

    1.805,10
    -32,70 (-1,78%)
     
  • BTC-USD

    18.997,90
    +545,94 (+2,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    377,90
    +8,15 (+2,20%)
     
  • S&P500

    3.633,62
    +56,03 (+1,57%)
     
  • DOW JONES

    30.034,38
    +443,11 (+1,50%)
     
  • FTSE

    6.432,17
    +98,33 (+1,55%)
     
  • HANG SENG

    26.588,20
    +102,00 (+0,39%)
     
  • NIKKEI

    26.165,59
    +638,22 (+2,50%)
     
  • NASDAQ

    12.074,25
    +169,00 (+1,42%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3843
    -0,0560 (-0,87%)
     

'Diabão da Praia Grande' derrota PTB de Roberto Jefferson e mantém candidatura na Justiça

João Conrado Kneipp
·2 minuto de leitura
'Diabão Praddo' afirma que sua expulsão no partido foi um pedido de Roberto Jefferson. (Foto: Reprodução/Facebook)
'Diabão Praddo' recorreu da expulsão assinada Roberto Jefferson e teve a candidatura mantida. (Foto: Reprodução/Facebook)

A Justiça Eleitoral de São Paulo manteve ativa a candidatura de Michel Prado, conhecido como “Diabão da Praia Grande”, ao cargo de vereador pelo município do litoral paulista após ter sido expulso do PTB. Na avaliação da Justiça, a exclusão baseou-se em uma “atitude discriminatória” do PTB em função das “transformações físicas” de Prado.

No início de outubro, “Diabão Praddo” - como consta seu registro no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) - teve a candidatura ameaçada pela expulsão da legenda. Na época, o “Diabão da Praia Grande” acusou o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, de tentar tirá-lo do partido motivado por preconceito devido sua aparência.

Tatuador, Michel Prado tem 85% do corpo coberto por tatuagens, chifres implantados, pigmentação nos olhos, dentes alongados e removeu partes das orelhas e do nariz. Ele e a esposa, Carolina Prado, conhecida como “Mulher Demônia”, ganharam repercussão na mídia devido às tatuagens e modificações corporais que ostentam.

Leia também

Prado recorreu da expulsão e, nesta semana, conseguiu a manutenção de sua candidatura a vereador pela Praia Grande.

Na decisão, o juiz eleitoral da 317ª Zona Eleitoral da Praia Grande, André Luis Maciel Carneiro, reconheceu que Prado não teve respeitado o direito de ampla defesa durante o procedimento de expulsão dos quadros de filiados do PTB.

Em um documento anexado ao processo da Justiça Eleitoral, o Diretório Nacional do PTB justificou a exclusão de Prado por “recusar o cumprimento da orientação política definida pelo partido ou faltar-lhe com a colaboração solicitada”, baseada no artigo 113, inciso 7, do Estatuto Partidário do PTB.

“Ainda, por total desconformidade com as diretrizes cristãs tida (sic) como um dos principais pilares defendidos pela agremiação, resta expulso do partido o filiado e candidato Michel Faro Prado”, informa o documento assinado por Roberto Jefferson.

O magistrado, no entanto, classificou a expulsão de “Diabão” como uma atitude discriminatória por parte do PTB.

“Toda a discussão se deu em virtude das transformações físicas pelas quais o requerente (Michel Prado, no caso) se submeteu, fato que, em hipótese alguma, deve ser considerado para fins de exclusão de um participante do processo eleitoral. À Justiça Eleitoral cabe assegurar a ampla representatividade do eleitorado no processo democrático (...). Nesse sentido, deve-se aplicar tal regra aos participantes do processo eleitoral que possuam aparência física diversa do padrão clássico imposto por uma sociedade arcaica, que ainda não reconhece as mudanças e evoluções das novas gerações. (...) Isto posto, defiro o pedido de registro, registro de candidatura de Michel Faro do Prado, para concorrer ao cargo de vereador”, sentenciou o juiz Maciel Carneiro.