Mercado fechará em 6 h 29 min
  • BOVESPA

    125.514,64
    +902,61 (+0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.910,53
    +12,74 (+0,03%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,09
    +0,44 (+0,61%)
     
  • OURO

    1.796,20
    -3,60 (-0,20%)
     
  • BTC-USD

    39.755,21
    +1.324,28 (+3,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    931,03
    +1,10 (+0,12%)
     
  • S&P500

    4.408,37
    +6,91 (+0,16%)
     
  • DOW JONES

    35.070,39
    +11,87 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.006,99
    +10,91 (+0,16%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    15.012,75
    +65,00 (+0,43%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0789
    -0,0295 (-0,48%)
     

Dia do Orgulho LGBTQIA+ | 10 jogos que abraçam a diversidade

·7 minuto de leitura

Junho é considerado o mês do Orgulho LGBTQIA+, em especial o dia 28. A data presta homenagem a Rebelião de Stonewall, uma série de protestos contra a invasão policial no bar Stonewall Inn, em Nova York, em 1969.

O movimento foi um dos marcos na luta dos direitos da população LGBT. Anos depois, a sociedade ainda nega e reprime a existência de pessoas não-heterossexuais, seja em ações veladas ou em extremos de agressões físicas. Infelizmente, o universo dos videogames, que é um recorte dessa mesma sociedade, ainda é repleto de pessoas homofóbicas, transfóbicas e que estão presas em um pensamento arcaico.

Por outro lado, há um belo e necessário movimento crescente para reforçar a existência dessas pessoas como membros da indústria, das equipes de desenvolvimento até o consumidor final. Muitos games fazem um ótimo papel para educar e mostrar como a vida da população LGBTQIA+ é através das narrativas propostas. Alguns jogos se tornam tão bons e marcantes que fazem história também pelas suas qualidades de mecânicas, jogabilidade, artes visuais e trilha sonora. Resultando em experiências únicas e impactantes.

Pensando nisso, o Canaltech separou dez jogos que abordam sexualidade e gênero da forma certa: como algo normal e que merece respeito. Sem abordar títulos que sexualizam as relações homoafetivas ou abusam de estereótipos negativos e que não acrescentam em nada nas discussões por igualdade.

10. Life is Strange

O primeiro jogo da popular franquia da Dontnod com a Square Enix conta a história de Max, que volta a sua cidade natal Arcadia Bay após alguns anos longe e acaba conseguindo o poder de voltar no tempo.

Lá, ela reencontra Chloe, sua amiga de infância, e juntas novamente elas vão resolver alguns mistérios do pequeno município. No título, cada escolha importa e irá alterar o relacionamento com cada personagem e até o final do game.

O jogo dá ao jogador a opção de desenvolver um relacionamento entre as duas, sem que isso mude o desenrolar e o final da história. Em Before The Storm, onde assumimos o papel de Chloe, e em Life is Strange 2, com Sean, romances gays são possíveis e isso é sempre reafirmado nas redes e em ações da desenvolvedora com a comunidade. Em Life is Starange 3, previsto para setembro de 2021 e sem o formato episódico, também terão diferentes opções românticas.

Life is Strange, Life is Strange Before The Storm e Life is Strange 2 estão disponíveis para PC, PlayStation 4 e Xbox One.

9. Tell Me Why

Não, não estamos falando da música dos Backstreet Boys. Aqui, o jogo conta a história dos gemêos Tyler e Alyson enquanto lidam novamente com alguns problemas de infância e como tudo mudou após a morte da mãe.

O game foi um marco na indústria por ter o primeiro protagonista transexual jogável, Tyler. O game de escolhas da Dontnod está incluso no Game Pass e também está gratuito na Steam e na Epic Store até 30 de junho, justamente para celebrar e promover o mês do orgulho.

Tell me Why está disponível no PC e Xbox One.

8. The Last of Us Part II

A trilha de vingança traz Ellie como protagonista da grandiosa franquia da Naughty Dog, no jogo linear de ação em terceira pessoa. O game se passa cinco anos após o primeiro, já com a protagonista mais velha e muito mais experiente.

(Imagem: Divulgação/Naughty Dog)
(Imagem: Divulgação/Naughty Dog)

Um dos pontos do game é o desenvolvimento do relacionamento de Ellie, lésbica, com Dina, bissexual. A trama aprofunda um pouco mais a sexualidade da personagem, que foi explorada no standalone Left Behind, onde a vemos com sua primeira paixão da infância Riley.

O game conta ainda com um personagem trans, que não será citado e nem detalhado aqui porque é spoiler importante para a trama.

The Last of Us Part II está disponível para PS4 e foi recentemente aprimorado no PlayStation 5.

7. Dream Daddy: A Dad Dating Simulator

Com o próprio nome já sugere, o simulador de encontros coloca o jogador no papel de um pai solteiro, que partirá em busca de um namorado. O jogo foi criado por Arin e Danny do canal Game Grumps no YouTube.

Ao longo da história, a forma como lidar com cada pretendente vai mudando os rumos da história, permitindo variados finais. Toda trama consegue misturar um clima romântico com momentos engraçados de situações corriqueiras de quando se está buscando a alma gêmea.

Dream Daddy está disponível para Android, iOS, PC (Steam), PS4 e Nintendo Switch.

6. Bugsnax

Lançado em novembro de 2020, o jogo conta a história de um jornalista - que é uma espécie de roedor - que viaja para uma ilha habitada por insetos-alimentos, como a pulguereja, a fritaranha e muitos outros.

Ao longo da aventura buscando Lizbert, o protagonista encontra outros habitantes do local. Entre eles, dois casas gays. É possível até mesmo ser o cupido de um deles e tirá-los da friendzone.

Bugsnax está disponível para PC, PlayStation 4 e PlayStation 5.

5. Overwatch

O jogo de tiro de 6 contra 6 em primeira pessoa da Blizzard conta com quatro modos de jogo, que alternam as equipes entre ataque, defesa e uma mistura entre os dois. O jogo é composto por diferentes heróis, divididos entre as classes de dano, tanque e suporte.

Cada personagem tem sua própria história, contada através de HQs e vídeos publicados pela equipe de criação. Desde o lançamento, em 2016, Tracer e o Soldado: 76 foram oficialmente confirmados como lésbica e gay, respectivamente.

Overwatch está disponível para PC, PS4, Switch e Xbox One

4. Gone Home

Ambientado nos anos 1990, o jogo indie de suspense conta a história de Kaitlin Greenbriar, que volta para casa nos Estados Unidos após passar muito tempo na Europa. Chegando em seu antigo lar, ela não encontra sua família e terá que descobrir o que aconteceu.

Explorando a casa é possível ver mais sobre o passado da protagonista e descobrir um pouco mais sobre Samantha, a irmã mais nova. Revirando suas coisas em seu quarto buscando respostas, Kaitlin descobre que a caçula é lésbica e planejava fugir de casa com a garota que estava secretamente apaixonada. A descrição para por aqui, para evitar spoilers do enredo.

Gone Home está disponível para PC (Epic Store), PS4, Switch e Xbox One.

3. Night in the Woods

Após abandonar a faculdade, Mae Borowski volta para sua cidade natal Possum Springs, buscando retomar sua antiga vida sem objetivo e se reconectar com os amigos que deixou para trás. A trama aborda muitas questões sobre saúde mental.

Dos cinco personagens principais, três são LGBT. Mae, a protagonista, é pansexual (pessoa que se atrai por todos os tipos de gêneros ou orientações sexuais) e seus amigos Gregg e Angus são um casal gay. A sexualidade dos personagens é bem inserida na trama e conta com alguns momentos chave.

Night in The Woods está disponível para PC e PS4.

2. Dragon Age: Inquisition

O terceiro game do RPG da trilogia Dragon Age desenvolvido pela BioWare e publicado pela Electronic Arts, em 2014, é um dos mais aclamados do gênero. A história se passa após os acontecimentos do segundo game e colocar o jogador no papel do Inquisidor.

Desde os primeiros jogos, Origins (2009) e Dragon Age 2 (2011), é possível construir relacionamentos com outros personagens não jogáveis. Neste, há um pouco mais de luz no relacionamento com um deles: Dorian Pavus. O mago de Tevinter vem de uma família tradicionalista cujo pai quer mudar a sexualidade a qualquer custo. Avançando no relacionamento, o jogador pode descobrir mais detalhes a história de Dorian.

Há também Krem, que é um homem trans (nasceu com sexo biológico feminino, mas se identifica como homem), Iron Bull, um qunari guerreiro qunari pansexual, e Briala e Celene, duas mulheres lésbicas.

Dragon Age: Inquisition está disponível para PlayStation 4 e Xbox One.

1. The Sims

Para finalizar, o popular simulador da vida real te deixa ser quem você quiser e como quiser. Em sua quarta edição, o jogo continua com sua função: simular como é cuidar da casa, organizar as finanças e equilibrar tudo isso com uma vida social e saudável.

Desde os primórdios, o game permitiu que o jogador se relacionasse com quem ele quisesse e fosse fisicamente como quisesse. Na versão mais recente, o jogo aderiu à neutralidade nas roupas e em algumas características físicas, permitindo além de maior personalização na sexualidade também no gênero dos jogadores.

The Sims 4 está disponível para PC, PS4 e Xbox One

Não se limite a junho

Por mais que o sexto mês do ano seja para promover a luta das pessoas LGBTQIA+, políticas inclusivas, reconhecimento e respeito à esta população deve ser parte do dia-a-dia. Quem sabe, no futuro, poderemos viver em um mundo onde a sexualidade ou o gênero de cada um não importa e não a coloca em uma situação diferente das demais.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos