Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    47.907,73
    -7.234,06 (-13,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Dia Nacional de Prevenção à Surdez: quem ama tecnologia também precisa se cuidar

·2 min de leitura

Nesta quarta-feira (10), celebra-se o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Surdez. A Organização Mundial de Saúde (OMS) prevê que cerca de 25% das pessoas, no mundo todo, sofrerão alguma perda auditiva, até 2050, mas esse índice pode ser contido com cuidados simples. Especialistas destacam alguns deles, principalmente no que diz respeito à tecnologia.

Segundo o otorrinolaringologista Andy Vicente, especialista em perda auditiva do Hospital CEMA, existem problemas de saúde que produzem sintomas muito sutis, e que, muitas vezes, passam despercebidos, até que se agravam. É o caso de grande parte dos casos de perda auditiva. “A perda auditiva está entre as condições mais associadas à depressão”, alerta.

Entre as principais causas da surdez, estão os traumas, tumores, otites não tratadas, exposição prolongada a sons altos, ocorrência de doenças, como diabetes, hipertensão arterial, caxumba, sarampo, rubéola, meningite, envelhecimento e enfermidades genéticas. Sob as recomendações do especialista, os cuidados para preservar a audição — principalmente daqueles que amam tecnologia e não deixam seus fones de ouvido de lado — incluem:

  • Evitar utilizar fones de ouvido por tempo prolongado

  • Proteger-se de ruídos muito altos e constantes

  • Cuidar corretamente de doenças de ouvido, como otites

  • Não utilizar objetos estranhos no ouvido

  • Consultar um especialista com frequência

(Imagem: twenty20photos/envato)
(Imagem: twenty20photos/envato)

Inovações da tcnologia para perda auditiva

Segundo o médico, são poucos os que sabem dos recursos atuais que a medicina oferece para quem sofreu alguma perda auditiva. “Além dos aparelhos auditivos, existe o implante coclear. Apesar do crescimento, o implante chega para menos de 5% do total de pacientes que poderiam ser usuários dessa tecnologia”, explica.

O implante é indicado para casos de perda auditiva neurossensorial severa ou profunda, que não tiveram respostas satisfatórias com o uso de próteses auditivas convencionais. Ele promove uma estimulação elétrica do nervo auditivo, restabelecendo a audição. No entanto, esse é um tratamento que demanda uma terapia fonoaudiológica específica, especialmente nos primeiros 12 meses.

A ideia dos especialistas da área é que futuramente seja possível fazer implantes cocleares totalmente implantáveis (sem a unidade externa). “Todos esses avanços nos deixam mais confiantes e seguros para tratarmos pessoas com diversos tipos de perda auditiva”, conclui o médico.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos