Mercado fechado

Dia do doador de sangue | Como doar sangue em meio à pandemia?

Nathan Vieira

A doação de sangue pode ser apontada como uma pura demonstração de solidariedade, e no contexto atual, acaba sendo ainda mais necessária do que já era antes. Acontece que neste domingo (14) é comemorado o Dia Mundial do Doador de Sangue, data criada para conscientizar a população sobre a importância deste ato, considerando que nos últimos meses, pelo isolamento social em decorrência do coronavírus, o ritmo de doações acabou diminuindo, o que resultou na queda brusca dos estoques de sangue em diversas regiões do país.

De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), apenas 16 a cada mil brasileiros são doadores de sangue, o que representa 1,6% do total da população. A estimativa é de que 66% dessas doações sejam espontâneas, ou seja, de pessoas que buscam os centros voluntariamente, e para incentivar a coleta, o Ministério da Saúde divulgou, em março, orientações e precauções para que a população continue contribuindo para manter os estoques abastecidos.

Esse dia do doador de sangue foi instituído pela própria OMS (para dar visibilidade à necessidade de mais doações regulares para garantir a qualidade, a segurança e a disponibilidade do sangue e seus derivados, além de homenagear os doadores pela atitude voluntária que salva vidas. A data também coincide com o período mais frio em grande parte do Brasil, quando há uma redução das doações.

"Evidentemente, o isolamento social fez com que as pessoas procurassem menos os serviços de hemoterapia para realizar a doação de sangue, e os bancos de sangue consequentemente tiveram uma diminuição das doações e uma diminuição dos estoques de sangue", afirma Dante Langhi, hematologista e presidente da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH). "O doador de sangue é uma pessoa que tem a atitude absolutamente altruísta. Nada mais justo do que homenagear essas pessoas para que todos entendam a importância e a gratidão em relação a esse ato", acrescenta.

Doação segura nessa pandemia

Para garantir a segurança dos doadores, os bancos de sangue vêm reforçando os cuidados. Os locais de coleta são orientados pelo Ministério da Saúde a disponibilizar condições para lavagem das mãos, antissépticos (como álcool em gel) e acolhimento que vise diminuir aglomeração de pessoas. Além disso, cuidados com a higienização das áreas, instrumentos e superfícies também têm sido intensificados pelos hemocentros.

No mês da doação de sangue, o Junho Vermelho, diversos bancos de sangue promovem iniciativas para alertar a população sobre a importância de doar. O Hemorio lançou a campanha “Isole a Indiferença”, para reverter a queda de quase 40% nas doações de sangue no mês de maio. Entre as iniciativas está a “Hemorio em Casa”, que já registra 3 mil doações em condomínios do Rio.

A Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH) se uniu à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e lançou a Campanha Nacional Sangue Verde e Amarelo, que organiza coletas de doação em estádios de futebol, minimizando aglomerações. As duas primeiras ações aconteceram na cidade de São Paulo, na Arena Corinthians e no Allianz Parque, em abril e maio. Dia 16 de Junho, em Manaus, a ação terá apoio dos times de futebol locais Manaus FC e Rio Negro.

Para Eliseu Aleixo, coordenador do curso de Enfermagem da Anhanguera de Santo André, esta é uma causa nobre e pode ser realizada com segurança. "Os bancos de sangue têm adotado medidas de prevenção para evitar a propagação do vírus e para que não haja risco aos doadores. A distribuição de álcool em gel, o uso da máscara, a limpeza a cada uma hora das maçanetas de portas e corrimãos, e distanciamento entre as cadeiras da coleta para evitar contato físico são alguns exemplos. A doação de sangue é segura", explica.

Em conversa com o Canaltech, a equipe da Fundação Pró-Sangue, uma instituição pública ligada à Secretaria de Estado da Saúde e ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo apontou algumas medidas adotadas: um sistema de agendamento individual online nesse momento de pandemia, que pode ser feito pelo site da Pró-Sangue.

Além disso, a fundação também conta com medidas para reforçar o número de vagas para o agendamento individual, para evitar aglomeração e diminuir o tempo de permanência das pessoas nos postos de coleta, disponibilização de álcool gel em vários pontos do processo da doação para os candidatos manterem suas mãos higienizadas durante a permanência nesses locais, disponibilização de máscara para os doadores que precisarem de troca e adoção do distanciamento social mínimo entre as pessoas, com marcação no chão e espaçamento das cadeiras, além de parceria com Uber, 99 e Cabify para o transporte dos doadores.

O Ministério da Saúde orienta à população que continue doando sangue, mesmo neste momento de pandemia, uma vez que os casos de febre amarela, anemia crônicas, tratamentos de câncer, acidentes que causam hemorragias, complicações decorrentes de dengue e outras doenças graves continuam acontecendo e mantendo o consumo de sangue diário e contínuo. São cerca de 32 hemocentros no país, além de aproximadamente 500 serviços de hemoterapia - onde também são feitas coletas e uso do sangue, segundo dados do órgão.

Para doar sangue, segundo o Ministério da Saúde, os candidatos precisam ter entre 16 e 69 anos (menores de 18 anos precisam do consentimento dos pais), pesar no mínimo 50 quilos, estar em bom estado de saúde e levar documento com foto no momento da doação. Em relação ao coronavírus, são considerados inaptos pelo período de 30 dias pessoas que tiverem contato, há menos de 30 dias, com casos suspeitos ou confirmados da doença ou que apresentarem sintomas respiratórios e febre.

"Se você estiver dentro das recomendações do Ministério da Saúde e tiver condições de fazer a doação, tomando todos os cuidados necessários, com certeza fará uma grande diferença, principalmente neste momento tão delicado que estamos vivendo", explica Eliseu Aleixo. "É muito importante lembrar que a doação é um procedimento simples, rápido e indolor, e a única forma de abastecer os bancos de sangue. Por isso, cada ação contribui muito com a vida de tantas pessoas que precisam", completa o Professor de Enfermagem.

Uma ajudinha tech

A partir desta semana todos os bancos de sangue, públicos e privados, do país terão acesso à ferramenta de doações de sangue do Facebook. Os doadores cadastrados pelo Facebook poderão ser notificados pela plataforma quando um hemocentro próximo precisar de doações. Para inspirar a comunidade de usuários do Facebook e do Instagram a doarem sangue e a se engajarem na campanha, GIF stickers relacionados ao tema também passaram a ficar disponíveis para serem usados nos Stories de ambas plataformas.

Para cadastrar-se como doador de sangue no Facebook, basta acessar a página. Usando seu dispositivo móvel também é possível acessar o menu do Facebook e então clicar em "Doações de Sangue".

O recurso de Doação de Sangue do Facebook está disponível no Brasil desde maio de 2018, e até hoje estava disponível para os Hemocentros públicos. Desde seu lançamento, mais de 10 milhões de brasileiros já se cadastraram na plataforma como doadores. Em maio deste ano, mais de 100 mil doadores cadastrados na plataforma definiram um lembrete ou entraram em contato com um banco de sangue indicando a intenção de doar.

“Esperamos que os bancos de sangue possam utilizar o Facebook para alcançar mais doadores durante o Junho Vermelho, e conscientizar a população sobre a importância de continuar doando regularmente,” afirma a gerente de Parcerias para Impacto Social do Facebook, Renata Gimenez. "Nossa intenção é ajudar para que, de um lado, as pessoas sintam-se seguras para doar sangue, e, de outro, os bancos consigam se conectar a doadores próximos e manter seus estoques estáveis," acrescenta.

Renata conta que no Brasil, assim como em muitos países, existem poucos doadores para que se possa garantir acesso a sangue seguro para todos que precisam, e esse foi o motivo pelo qual a plataforma foi lançada. "Vimos que os as organizações e hemocentros já usavam o Facebook para promover suas campanhas de doação de sangue. Queríamos facilitar a conexão das pessoas que queriam doar com as oportunidades de doação, então, em 2018, lançamos o recurso Doações de Sangue no Brasil, oferecendo às pessoas que estão no Facebook a opção de indicar que estão dispostos a doar sangue. Com a ferramenta, os bancos de sangue conseguem notificar pessoas próximas que sejam cadastradas quando precisarem de doações, e assim, manter seus estoques estáveis", explica.

Renata ainda ressalta: "a missão do Facebook é dar às pessoas o poder de criar comunidades e aproximar o mundo, e sabemos que na plataforma há diversos voluntários, doadores e ativistas que se reúnem para fazer a diferença. O Facebook empodera essas comunidades criando produtos que conectam pessoas e criam um impacto social positivo". Ela usa como exemplo a Central de Informações sobre o Coronavírus (COVID-19), lançada em março, para que as pessoas tenham acesso às últimas notícias e informações sobre o tema, bem como recursos e dicas.

Além disso, para facilitar o deslocamento dos doadores de sangue durante essa época de coronavírus (Covid-19), os aplicativos de transporte Uber, 99 e Cabify se mobilizaram e disponibilizaram vouchers para todos os candidatos à doação de sangue. Cada empresa incluiu um código promocional para ser ativado no sistema, no momento da solicitação da viagem e, assim, aplicado o desconto da corrida. A ação vale para viagens de ida e volta e, para garantir a utilização de maneira adequada, é importante que cada usuário verifique nos respectivos sites ou aplicativos as regras de uso.

Fonte: Canaltech