Mercado fechado

Di Grassi quer ficar na Fórmula E após saída da Audi da categoria

Matt Kew
·2 minuto de leitura

Campeão da Fórmula E, o brasileiro Lucas di Grassi "não tem ressentimentos" quanto à decisão da Audi de sair da categoria elétrica no final da próxima temporada, mas deseja permanecer no campeonato de monopostos elétricos.

A montadora alemã anunciou nesta segunda-feira que retiraria a equipe de fábrica da F-E no final da temporada 2020/21 em favor de um programa no Rally Dakar e de uma volta para corridas de carros esportivos protótipos.

Lucas Di Grassi, Audi Sport ABT Schaeffler, Audi e-tron FE06

Lucas Di Grassi, Audi Sport ABT Schaeffler, Audi e-tron FE06<span class="copyright">Alastair Staley / Motorsport Images</span>
Lucas Di Grassi, Audi Sport ABT Schaeffler, Audi e-tron FE06Alastair Staley / Motorsport Images

Alastair Staley / Motorsport Images

Di Grassi, 10 vezes vencedor de corridas na F-E, acrescentou que, embora quisesse que a Audi permanecesse na F-E, ele não tem sentimentos amargos sobre a decisão de sair da montadora alemã.

“O automobilismo é feito de ciclos”, disse ele. “Se você ver a maioria das equipes na Fórmula 1, elas entram, elas saem, elas voltam... Eu não tenho ressentimentos", destacou o piloto brasileiro.

"É uma decisão de grupo, é uma estratégia. Claro, eu gostaria que a Audi pudesse continuar na Fórmula E - eu os trouxe aqui, trouxe a equipe de LMP1, vim. Mas voltando para LMDh, para mim também é um projeto que me excita muito. ”

Di Grassi e seu companheiro alemão René Rast têm contratos com o programa geral de automobilismo da Audi. Isso pode abrir caminho para que ambos sejam transferidos para o nascente projeto de carros esportivos LMDh nos próximos anos.

O brasileiro, que foi três vezes ao pódio nas 24 Horas de Le Mans com a Audi, acrescentou: “O meu compromisso com a Audi é a longo prazo. Eles estão longe de decidir qual é a linha de pilotos [para a LMDh], mas a Audi tem alguns pilotos de qualidade agora."

"Todos nós com muita experiência em carros esportivos. Tenho interesse em ficar com a Audi e me comprometer com o longo prazo. Eles me deram meu primeiro contrato depois da F1 em 2012. Minha carreira realmente subiu depois disso, então devo muito a eles."

“O foco principal para mim é realmente vencer este campeonato mundial e vencer corridas e focar neste ano. Conforme as coisas progridem, vamos entender o quadro mais amplo e seguir em frente", afirmou o competidor, que busca o segundo título da F-E.