Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,31 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -908,97 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,83
    -0,72 (-0,84%)
     
  • OURO

    1.836,10
    -6,50 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    36.399,88
    -3.640,76 (-9,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    870,86
    +628,18 (+258,85%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,02 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.411,00
    -430,00 (-2,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1900
    +0,0599 (+0,98%)
     

DF confirma dois casos de variante ômicron

·3 min de leitura
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 02.09.2021 - O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 02.09.2021 - O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O governo do Distrito Federal anunciou a confirmação de dois casos de Covid-19 pela variante ômicron, inicialmente identificada na África do Sul.

Trata-se de dois homens de 40 a 49 anos, que tiveram passagem pelo país sul-africano. Os dois estavam vacinados com três doses da vacina contra o novo coronavírus.

Segundo o governo do DF, eles são residentes de Brasília e estavam no mesmo voo do viajante que teve o primeiro caso confirmado de Covid-19 em São Paulo, que desembarcou em Guarulhos no sábado (27). Em seguida, eles pegaram um voo para a capital federal.

Com isso, o Brasil passa a ter cinco casos confirmados da doença pela nova variante. De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil possui oito casos suspeitos, sendo um em Minas Gerais, um no Rio de Janeiro e seis no Distrito Federal.

Os dois homens do DF realizaram o teste de Covid-19 na segunda-feira (29). Um recebeu diagnóstico positivo e o outro, negativo. Por causa do protocolo, eles realizaram novamente o teste, dando os dois positivos.

Os exames foram realizados após o Cievs-DF (Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde do Distrito Federal) receber a informação de que dois homens estavam no mesmo voo do primeiro caso suspeito.

No caso de São Paulo, a Secretaria da Saúde confirmou nesta quarta (1º) o terceiro caso da variante ômicron no estado. Trata-se de um homem de 28 anos que desembarcou da Etiópia no fim de semana. O teste para Covid-19 deu positivo. Ele já estava isolado em Guarulhos, na Grande São Paulo, e sob acompanhamento da vigilância do município.

Segundo a pasta, ele segue sem apresentar sintomas da doença e já havia sido vacinado com duas doses da vacina da Pfizer. O sequenciamento foi analisado pelo Instituto Adolfo Lutz.

Os primeiros dois casos da nova variante no país, analisados pelo Hospital Israelita Albert Einstein, são de dois missionários, um homem de 41 anos e de uma mulher de 37. O casal, assintomático e igualmente imunizado, está isolado na casa de parentes na capital paulista.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nesta quinta (2) que o país está preparado para lidar com a situação. Para ele, as pessoas devem continuar a procurar as salas de vacinação, tendo em vista que a imunização vai ajudar a enfrentar a ômicron e outras variantes que podem surgir.

"Nós temos uma situação sanitária bem mais equilibrada, mas lidamos com a imprevisibilidade desse vírus que sofre mutações. A vigilância de saúde tem que estar atenta, atuante para que essas variantes sejam identificadas e se avalie o potencial para evitar o cenário pandêmico", afirmou.

Arnaldo Medeiros, secretário de Vigilância da Saúde do Ministério da Saúde, disse que as principais recomendações são aumentar a cobertura vacinal, ampliar a dose de reforço, reforçar a vigilância laboratorial, reforçar a vigilância em saúde para o monitoramento de viajantes e as medidas não farmacológicas.

"Já solicitamos as listas de voos provenientes dos países com casos confirmados desde o dia 11 [novembro] para o monitoramento dos passageiros por 14 dias. Os passageiros são monitorados ou rastreados pelos Cievs municipais ou estaduais", disse.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos