Mercado abrirá em 4 h 58 min
  • BOVESPA

    129.513,62
    +1.085,64 (+0,85%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.558,32
    +387,54 (+0,77%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,49
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +5,40 (+0,30%)
     
  • BTC-USD

    34.249,98
    +1.398,73 (+4,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    820,94
    +34,32 (+4,36%)
     
  • S&P500

    4.266,49
    +24,65 (+0,58%)
     
  • DOW JONES

    34.196,82
    +322,58 (+0,95%)
     
  • FTSE

    7.120,11
    +10,14 (+0,14%)
     
  • HANG SENG

    29.300,82
    +418,36 (+1,45%)
     
  • NIKKEI

    29.066,18
    +190,95 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    14.359,75
    +5,50 (+0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,8696
    +0,0073 (+0,12%)
     

Dezenas de países alcançam ou superam as metas da ONU para a aids

·2 minuto de leitura
Os exames de HIV são ferramentas cruciais

Quatro décadas após a aparição dos primeiros casos de aids, dezenas de países alcançaram ou superaram as metas estabelecidas pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 2016, anunciou a ONU nesta quinta-feira (3).

Ao menos 40 países estão no caminho de reduzir 90% da mortalidade vinculada com a aids até 2030, incluindo nove países da África do leste e do sul, segundo um relatório da Unaids.

O texto não dá estatísticas por países, mas mostra que as mortes relacionadas com a aids diminuíram em todas as regiões desde 2010, exceto na Europa do leste e Ásia central.

As infecções também aumentaram nesta região no mesmo período e avançaram levemente na América Latina e Oriente Médio/Norte da África.

Em 2016, a Assembleia Geral das Nações Unidas estabeleceu alguns objetivos para 2020 com o objetivo de erradicar a aids antes de 2030.

Cinco anos mais tarde, dezenas de países com características epidemiológicas e econômicas diferentes alcançaram ou superaram alguns desses objetivos. Isso prova que "é possível controlar uma pandemia que parecia quase incontrolável há 20 anos", explica a Unaids, a agência especializada da ONU.

Em 2020, foram registradas cerca de 690.000 mortes relacionadas à aids, ou seja, uma redução de 55% de 2001 para 2020, diz o relatório, publicado às vésperas da quinta sessão de alto nível sobre a aids da Assembleia Geral, que será realizada de 8 a 10 de junho.

Segundo o documento, "os países com leis e políticas progressistas e sistemas sanitários fortes e inclusivos obtiveram os melhores resultados contra o HIV".

Nesses países, as pessoas que vivem com HIV têm mais chances de terem acesso a serviços eficazes de combate ao vírus, entre eles a detecção, o acesso a um tratamento médico preventivo e a cuidados de qualidade. Também podem receber um tratamento durante vários meses.

Segundo o relatório, a democratização da terapia antirretroviral permitiu evitar cerca de 16,2 milhões de mortes em uma década.

Entre as 37,6 milhões de pessoas que tinham HIV no mundo em 2020, a Unaids estima que 27,4 milhões estavam sob tratamento, um número que mais que triplicou desde 2010, mas que ainda está abaixo do objetivo de 2020 de 30 milhões.

apo/vog/es/mb/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos