Mercado fechará em 23 mins
  • BOVESPA

    109.747,54
    +2.368,62 (+2,21%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.861,07
    +593,87 (+1,41%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,95
    +1,89 (+4,39%)
     
  • OURO

    1.803,50
    -34,30 (-1,87%)
     
  • BTC-USD

    19.112,12
    +660,16 (+3,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    379,10
    +9,35 (+2,53%)
     
  • S&P500

    3.634,06
    +56,47 (+1,58%)
     
  • DOW JONES

    30.033,92
    +442,65 (+1,50%)
     
  • FTSE

    6.432,17
    +98,33 (+1,55%)
     
  • HANG SENG

    26.588,20
    +102,00 (+0,39%)
     
  • NIKKEI

    26.165,59
    +638,22 (+2,50%)
     
  • NASDAQ

    12.035,25
    +130,00 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3826
    -0,0577 (-0,90%)
     

Dez milhões de pessoas podem quitar dívidas por apenas R$ 50

Daniel Mello – Repórter da Agência Brasil
·1 minuto de leitura

A Serasa informou nesta segunda-feira (9) que 10 milhões de consumidores poderão quitar dívidas por apenas R$ 50. A ação faz parte do 26º Feirão Limpa Nome, que permite renegociar dívidas atrasadas com até 99% de desconto. O feirão começou na semana passada

Participam da iniciativa mais de 50 empresas de diversos segmentos, como lojas de departamento, companhias telefônicas, bancos e faculdades. A estimativa é que as ações podem dar a possibilidade para 64 milhões de consumidores regularizarem sua situação. O feirão vai até o dia 30 deste mês.

Para participar, o consumidor pode acessar um dos canais digitais da Serasa: site do Serasa Limpa Nome, WhatsApp (11 99575-2096) e aplicativo.

Nesta edição, a negociação poderá ser feita em mais de 7 mil agências dos Correios em todo o país. A ação permitirá ainda que, após a quitação da dívida, o consumidor tenha sua pontuação aumentada e assim obtenha melhores condições de crédito nas próximas compras.

Segundo a Serasa, o Brasil tem atualmente 62,7 milhões de pessoas com dívidas em atraso, das quais 15 milhões no estado de São Paulo. Apenas na capital paulista, há 4,2 milhões de pessoas inadimplentes.