Mercado fechará em 6 h 4 min
  • BOVESPA

    129.587,90
    +820,45 (+0,64%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.166,71
    +36,83 (+0,07%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,21
    +1,36 (+1,87%)
     
  • OURO

    1.791,40
    +14,00 (+0,79%)
     
  • BTC-USD

    34.114,89
    +5.121,22 (+17,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    820,72
    +10,53 (+1,30%)
     
  • S&P500

    4.249,77
    +3,33 (+0,08%)
     
  • DOW JONES

    33.918,04
    -27,54 (-0,08%)
     
  • FTSE

    7.120,53
    +30,52 (+0,43%)
     
  • HANG SENG

    28.817,07
    +507,31 (+1,79%)
     
  • NIKKEI

    28.874,89
    -9,24 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    14.298,75
    +40,50 (+0,28%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9157
    -0,0041 (-0,07%)
     

Devolução no Pix? Sistema vai ganhar recurso para estorno em fraudes e falhas

·1 minuto de leitura

Lançado em novembro de 2020, o Pix continua a ganhar mais recursos que ajudam a torná-lo uma ferramenta de pagamentos segura e versátil. Nesta terça-feira (8), o Banco Central (BC) anunciou que trabalha na criação de um mecanismo especial que permitirá usar o sistema para devolver valores.

O intuito da instituição é criar um sistema de devolução padronizado entre diferentes instituições bancárias que entre em ação em casos de fraudes comprovadas e falhas operacionais. A intenção é dar “mais celeridade e eficiência ao processo de devolução, aumentando a possibilidade de os usuários reaverem os valores nos casos de fraude”, afirmou o BC.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Segundo a instituição, a devolução poderá ser iniciada pelo prestador de serviço de pagamento (PSP) do usuário, tanto por iniciativa própria quanto atendendo a solicitações. Conforme o BC explica, a versão atual do PIX já tem uma funcionalidade de devolução, mas ela só funciona caso as instituições envolvidas contem com procedimentos operacionais bilaterais, o que dificulta o processo.

Apesar de já ter aprovado o mecanismo especial, o Banco Central prevê que ele só deve entrar em operação no dia 16 de novembro, data em que o PIX comemora um ano de operação. Para o futuro próximo, a tecnologia deve incorporar sistemas de troco e saque, bem como a possibilidade de realizar pagamentos agendados por meio do Pix Cobrança, opção que substitui os boletos tradicionais.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos