Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.940,44
    -456,20 (-0,94%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.530,00
    +12,25 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Deutsche Bank vê fim da fase de lua de mel com trabalho remoto

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O Deutsche Bank avalia que a fase de lua de mel dos funcionários com o trabalho remoto esteja perto do fim.

Um número crescente de trabalhadores relata que se sente isolado dos colegas, disse o Deutsche Bank em relatório aos clientes. Eles estão cada vez mais propensos a desenvolver problemas musculoesqueléticos devido a configurações inadequadas de trabalho remoto. Quase 40% dos trabalhadores nos EUA dizem que se sentem exaustos após uma semana inteira de reuniões virtuais.

“Apesar de nossa lua de mel inicial, as pessoas estão começando a perceber que a liberdade de trabalhar em casa tem algumas desvantagens: diluição da cultura da empresa, problemas de coordenação e até mesmo o bem-estar mental de alguns trabalhadores”, Marion Laboure, analista do Deutsche Bank, disse no relatório.

Mesmo assim, uma pesquisa conduzida pela empresa mostrou que as pessoas esperam continuar trabalhando em casa de dois a três dias por semana, assim que a pandemia de coronavírus não for mais considerada uma ameaça. A empresa agora espera que os escritórios em grandes centros financeiros como Londres e Nova York retornem rapidamente, apontando para o aumento do número de passageiros nos sistemas de transporte público em ambas as cidades como um dos primeiros sinais de que os trabalhadores estão voltando para suas mesas.

“Trabalhar em casa trouxe novas liberdades, economizou algum dinheiro extra ao cortar o deslocamento diário”, disse Laboure. “No entanto, as preocupações em torno da saúde mental, o prejuízo aos negócios, os recém-formados impossibilitados de se conectar com seus colegas e até mesmo a vulnerabilidade a ataques cibernéticos levaram a perguntas sobre se nossa lua de mel com o trabalho em casa está chegando ao fim.”

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos