Mercado fechará em 3 h 44 min
  • BOVESPA

    101.245,14
    +692,70 (+0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.443,43
    -225,82 (-0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    40,82
    +0,79 (+1,97%)
     
  • OURO

    1.901,90
    -27,60 (-1,43%)
     
  • BTC-USD

    12.956,82
    +1.899,82 (+17,18%)
     
  • CMC Crypto 200

    260,87
    +4,77 (+1,86%)
     
  • S&P500

    3.438,98
    +3,42 (+0,10%)
     
  • DOW JONES

    28.243,96
    +33,14 (+0,12%)
     
  • FTSE

    5.776,80
    +0,30 (+0,01%)
     
  • HANG SENG

    24.786,13
    +31,71 (+0,13%)
     
  • NIKKEI

    23.474,27
    -165,19 (-0,70%)
     
  • NASDAQ

    11.581,75
    -109,50 (-0,94%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5948
    -0,0552 (-0,83%)
     

Deutsche Bank revisa regra de trabalho remoto para cortar custos

Steven Arons
·2 minutos de leitura

(Bloomberg) -- O Deutsche Bank conduz uma revisão das políticas de trabalho remoto com o objetivo de reduzir permanentemente o espaço de escritórios, e entra para a lista de bancos que usam lições aprendidas com a pandemia para cortar custos.

A liderança do banco trabalha em um novo “modelo híbrido” de como a equipe pode dividir o trabalho entre o escritório e residência, disse o CEO Christian Sewing em conferência na quinta-feira.

As novas políticas permitirão que os funcionários tenham acordos vinculantes sobre quantos dias por semana desejam trabalhar fora do escritório, disse uma pessoa a par do assunto. O banco elaborou estimativas sobre a proporção de funcionários que trabalharão em casa, de acordo com a pessoa, que pediu para não ser identificada.

O Deutsche Bank se une a bancos como Mizuho Financial e Fifth Third Bancorp que também têm cortado custos com escritórios depois que a pandemia de coronavírus levou a um grande número de funcionários a trabalharem remotamente. Executivos do alto escalão têm dito repetidamente que ficaram positivamente surpresos com o baixo impacto da mudança na produtividade, uma avaliação que nem todas firmas de Wall Street compartilham.

Jamie Dimon, CEO do JPMorgan Chase, alertou que a produtividade da equipe deve cair se o trabalho remoto se estender por muito tempo, enquanto Larry Fink, da BlackRock, e Sergio Ermotti, do UBS, alertaram que trabalhar em casa dificulta a manutenção da cultura corporativa.

O Deutsche Bank gastou 1,7 bilhão de euros (US$ 2 bilhões) em aluguel e móveis no ano passado, um valor que esperava permanecesse estável antes da pandemia. Após a experiência do primeiro semestre, o diretor financeiro do banco, James von Moltke, agora vê espaço para reduzir esses custos.

No começo da semana, o Deutsche Bank deu um passo nessa direção ao liberar dois dos cinco andares que aluga em um dos edifícios de escritórios mais caros de Zurique. Um porta-voz citou a expectativa de que mais pessoas trabalharão em casa como um dos motivos para a decisão.

O Deutsche Bank também mudará os escritórios de Nova York no próximo ano para reduzir o espaço usado em quase 30%. O banco cortou a força de trabalho nos Estados Unidos em cerca de 20% nos últimos dois anos. A DWS Group, unidade de gestão de ativos do banco, se mudou recentemente para um escritório mais barato em Londres.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.