Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,66 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,39 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,35
    +0,46 (+0,42%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,90 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    29.421,88
    +486,29 (+1,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,77 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,56 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,19 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -40,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1528
    -0,0660 (-1,26%)
     

Detesta malhar? Veja 5 dados científicos para te motivar

·2 min de leitura

Com o desenvolvimento da humanidade, a tendência foi se tornar cada vez menos ativo fisicamente. No entanto, deixar de lado os exercícios físicos é seriamente prejudicial à saúde: para se ter uma noção, estudos publicado na revista The Lancet já chegaram a relacionar o sedentarismo ao aumento do risco de câncer.

O Departamento de Saúde da Austrália (Australian Department of Health) recomenda que adultos de 18 a 65 anos façam pelo menos 150 minutos de atividade física de intensidade moderada — caminhada, andar de bicicleta — a cada semana, ou 75 minutos de atividade intensa — correr, jogar futebol — por semana. Muitos de nós temos problemas para conduzir uma vida cheia de atividades físicas, mas alguns dados científicos podem motivar:

Exercitar-se acompanhado tende a dar mais certo

De acordo com uma pesquisa publicada na Europe PMC, as pessoas tendem a possuir um compromisso muito maior quando realizam atividades físicas acompanhadas, seja por um amigo, seja por um familiar. Os cientistas descobriram, nessa análise, que o ser humano se exercita por mais tempo quando conta com a presença de alguém, em comparação com aquele que se exercita sozinho.

Indicadores de exercícios físicos aumentam a motivação

Aqueles famosos smartwatches que monitoram a quantidade de atividade física realizada podem ajudar a motivar o usuário, de acordo com uma metanálise da JMIR Publications. Esse efeito também pode ser notado em apps de treinos e exercícios físicos.

Algumas informações científicas podem motivar a realização de exercícios físicos (Imagem: bernardbodo/envato)
Algumas informações científicas podem motivar a realização de exercícios físicos (Imagem: bernardbodo/envato)

Não exagerar no começo pode ser o segredo

Em vez de se entregar a exercícios intensos logo de cara, até chegar à exaustão e ter dores no corpo, os cientistas perceberam que começar aos poucos tem um potencial maior para motivar, já que deixa a pessoa querendo mais. As descobertas foram apresentadas em um artigo na American Journal of Preventive Medicine.

Ouvir música diminui a percepção do esforço

Segundo um artigo publicado na International Review of Sport and Exercise Psychology, ouvir música animada melhora o humor durante o exercício e reduz a percepção de esforço, tornando os treinos mais produtivos. Esses benefícios são particularmente eficazes para formas rítmicas e repetitivas de exercício, como caminhar e correr. Aposte em bons fones de ouvido como companheiros de treino!

A desistência é mais comum nos primeiros três meses

Segundo a Associação Americana de Psicologia (American Psychological Association), leva cerca de três a quatro meses para que o exercício físico se torne um hábito. Depois disso, o corpo e a mente passam a se acostumar com a rotina de atividades físicas, e a desistência se torna uma ideia cada vez mais distante.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos