Sem detalhar pacote de portos, ministro frustra plateia

As discussões do governo para elaborar o pacote de portos estão centradas neste momento na revisão do arcabouço legal do setor. "A lei é de 93, tem perto de 20 anos e carece de adaptação para o tempo atual", disse o ministro da Secretaria Especial de Portos, Leônidas Cristino, na abertura do VII Seminário SEP de Logística, em Fortaleza (CE). Ele, porém, frustrou a plateia formada por operadores portuários de todo o País. "Todos querem que eu fale do novo modelo mas, evidentemente, não vou falar", adiantou.

O ministro citou genericamente as medidas, afirmando que têm como objetivo dar mais eficiência aos portos e garantir os investimentos - que, na verdade, já ocorrem em certa dimensão, mas o governo quer estimular o aumento. "Precisamos muito mais."

Segundo Cristino, o pacote portuário vai complementar, em termos de modernização logística, os R$ 133 bilhões de investimentos em rodovias e ferrovias, anunciados pela presidente Dilma Rousseff em agosto passado. Ele deixou o evento promovido por sua Pasta para participar no final da tarde desta quarta-feira de mais uma reunião no Palácio do Planalto.

Carregando...