Mercado fechará em 3 h 4 min
  • BOVESPA

    111.201,42
    +275,82 (+0,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.237,89
    -219,66 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,87
    +0,65 (+0,80%)
     
  • OURO

    1.798,50
    -16,70 (-0,92%)
     
  • BTC-USD

    16.954,92
    -22,37 (-0,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    402,49
    +1,07 (+0,27%)
     
  • S&P500

    4.047,86
    -28,71 (-0,70%)
     
  • DOW JONES

    34.244,22
    -150,79 (-0,44%)
     
  • FTSE

    7.569,19
    +10,70 (+0,14%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.918,25
    -144,50 (-1,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4815
    +0,0161 (+0,29%)
     

Destaques da NASA: eclipse solar, nebulosas e + nas fotos astronômicas da semana

Mais um sábado chegou, o que significa que é dia de conferir um novo compilado das fotos selecionadas pela NASA no site Astronomy Picture of the Day. Apesar de o eclipse solar parcial do início da semana não ter sido visível do Brasil, você poderá conferir aqui um belo registro do fenômeno capturado na Índia.

Como de costume, temos também imagens incríveis de nebulosas, galáxias e até um compilado de fotos da chuva de meteoros Oriônidas, produzido ao longo de sete anos.

Confira abaixo:

Sábado (22/10) — Nebulosa da Califórnia

A Nebulosa da Califórnia fica a 1.500 anos-luz de nós (Imagem: Reprodução/Stephen Kennedy)
A Nebulosa da Califórnia fica a 1.500 anos-luz de nós (Imagem: Reprodução/Stephen Kennedy)

Esta nebulosa fica a cerca de 1.500 anos-luz de nós no braço Órion em nossa galáxia, o mesmo que abriga o Sistema Solar. Designada “NGC 1499”, esta é uma nebulosa de emissão cujo formato lembra o da Califórnia, estado no litoral norte-americano — daí seu apelido.

A nebulosa NGC 1499 é de emissão, e brilha com a luz avermelhada de átomos de hidrogênio ionizados. Normalmente, estas nebulosas são ionizadas pela luz de alguma estrela quente por perto.

Domingo (23/10) — Via Láctea e luz zodiacal

Via Láctea e o brilho da luz zodiacal fotografados na Austrália (Imagem: Reprodução/Jingyi Zhang)
Via Láctea e o brilho da luz zodiacal fotografados na Austrália (Imagem: Reprodução/Jingyi Zhang)

O arco da Via Láctea no céu chama a atenção neste panorama, fotografado na Austrália. Além da nossa galáxia, a foto mostra também Saturno, próximo da faixa da Via Làctea, e Júpiter, brilhando perto do horizonte. É ali que está também um raio de luz zodiacal, vinda da luz solar refletida por grãos de poeira.

Para observar a luz zodiacal, é preciso ficar de olho no horizonte perto do amanhecer ou após o fim do crepúsculo. Quanto mais escuro o céu, melhores as chances de ver a luz.

Segunda-feira (24/10) — Galáxia Andrômeda

Andrômeda fotografada junto de nuvens de poeira (Imagem: Reprodução/Andrew Fryhover)
Andrômeda fotografada junto de nuvens de poeira (Imagem: Reprodução/Andrew Fryhover)

A galáxia Andrômeda, nossa maior vizinha galáctica do tipo espiral, brilha nesta foto com seu núcleo amarelado e braços espirais, repletos de estrelas brilhantes e azuladas. Também chamada “M31”, aqui a galáxia aparece acompanhada de nuvens avermelhadas, formadas por hidrogênio gasoso ionizado. A maioria delas faz parte da Via Láctea.

Localizada a mais de 2 milhões de anos-luz, Andrõmeda é uma galáxia que pode ser observada a olho nu.

Terça-feira (25/10) — Rotação de Júpiter

Assim como os planetas do Sistema Solar orbitam o Sol, as luas de Júpiter viajam ao redor do gigante gasoso. Em pouco mais de 40 segundos, este vídeo te mostra como é este movimento: a sequência mostra a rotação de Júpiter, que nos permite ver rapidamente as faixas gasosas em sua estrutura, a Grande Mancha Vermelha e mais.

Enquanto isso, as luas Europa, Ganimedes e Io entram em cena de pouco a pouco — aqui, vale destacar Europa, cuja sombra é projetada sobre o planeta. Em seguida, Ganimedes entra em cena.

Quarta-feira (26/10) — Nebulosa do Casulo

Nebulosa do Casulo fotografada junto de nuvens de poeira que se estendem por quase 100 anos-luz (Imagem: Reprodução/Andy Ermolli)
Nebulosa do Casulo fotografada junto de nuvens de poeira que se estendem por quase 100 anos-luz (Imagem: Reprodução/Andy Ermolli)

Talvez pareça que esta foto tem um grande cometa, mas não se engane. Na verdade, ela mostra a nebulosa IC 5146, localizada no lado esquerdo da imagem. Mais conhecida como “Nebulosa do Casulo”, ela é uma nebulosa de emissão e reflexão, ou seja, emite e reflete a luz de alguma fonte próxima.

Já no lado direito, está uma grande “cauda” de poeira que se estende por quase 100 anos-luz, com filamentos de poeira que escondem estrelas em formação. Ambos os objetos ficam a cerca de 2.500 anos-luz da Terra.

Quinta-feira (27/10) — Eclipse solar parcial

Eclipse solar parcial registrado na Índia (Imagem: Reprodução/Neelam and Ajay Talwar (TWAN)
Eclipse solar parcial registrado na Índia (Imagem: Reprodução/Neelam and Ajay Talwar (TWAN)

No início da semana, a Lua “escondeu” temporariamente parte do disco solar, causando um eclipse solar parcial. O fenômeno pôde ser observado em algumas regiões do planeta, como partes da Europa e Ásia — e na Índia, onde esta foto foi tirada.

Os eclipses solares acontecem quando a Lua, na fase cheia, fica entre o Sol e a Terra, bloqueando parte da luz solar e projetando sua sombra em partes do nosso planeta.

Sexta-feira (28/10) — Chuva de meteoros Oriônidas

Meteoros Oriônidas fotografados entre 2015 e 2022 (Imagem: Reprodução/Petr Horalek / Institute of Physics in Opava)
Meteoros Oriônidas fotografados entre 2015 e 2022 (Imagem: Reprodução/Petr Horalek / Institute of Physics in Opava)

Que tal conferir a beleza da chuva de meteoros Oriônidas entre 2015 e 2022? O panorama acima traz anos de fotos do fenômeno, causado por detritos do cometa 1P/Halley. Este cometa leva mais de 70 anos para retornar ao Sistema Solar, e enquanto viaja pelo espaço, seus detritos causam as chuvas Eta Aquáridas e, claro, a Oriônidas.

A chuva tem este nome porque os meteoros parecem vir da direção da constelação Órion, o Caçador. Além dos meteoros, a foto traz também o brilho da faixa da Via Láctea no céu noturno.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: