Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.829,73
    -891,85 (-0,82%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.335,51
    -713,54 (-1,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,51
    +0,37 (+0,48%)
     
  • OURO

    1.885,40
    +0,60 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    23.262,11
    +502,37 (+2,21%)
     
  • CMC Crypto 200

    534,56
    +8,61 (+1,64%)
     
  • S&P500

    4.164,00
    +52,92 (+1,29%)
     
  • DOW JONES

    34.156,69
    +265,67 (+0,78%)
     
  • FTSE

    7.864,71
    +28,00 (+0,36%)
     
  • HANG SENG

    21.298,70
    +76,54 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    27.685,47
    -8,18 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    12.749,50
    -27,25 (-0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5786
    +0,0593 (+1,07%)
     

Destaque da NASA: "monstro" cósmico devora galáxia na foto astronômica do dia

Um "monstro" que lembra um verme da areia de Arrakis, na saga de ficção científica Duna, parece prestes a devorar uma galáxia na Foto Astronômica do Dia destacada pela NASA. Claro que não se trata de nada disso, mas sim de uma nebulosa muito distante de sua "refeição.

Essa formação de nuvem de gás é algo conhecido como glóbulo cometário CG4, mas não se deixe enganar pelo nome — o objeto está muito longe de ser um cometa. Os astrônomos resolveram apelidar nuvens como essa com a palavra "cometário" apenas devido à aparência de cabeças com caudas alongadas.

O curioso no CG4 é que o glóbulo simplesmente perdeu sua "cabeça". Ainda não se sabe o que causou a "decapitação" deste monstrinho cósmico, mas talvez ele esteja muito mais interessante visualmente nessa forma atual.

O "monstro" é uma nebulosa muito distante da galáxia à esquerda (Imagem: Reprodução/Mike Selby & Mark Hanson/APOD)
O "monstro" é uma nebulosa muito distante da galáxia à esquerda (Imagem: Reprodução/Mike Selby & Mark Hanson/APOD)

Normalmente, os glóbulos são os locais de formação estelar, mas não podemos ver muitas das estrelas nascidas ali devido às camadas de poeira que bloqueiam a luz. A galáxia à esquerda do glóbulo é muito maior; apenas parece pequena perto do CG4 devido a uma superposição.

Situado a cerca de 1,3 mil anos-luz de distância da Terra, na Constelação da Popa, o CG4 tem um diâmetro de 1,5 ano-luze sua cauda do glóbulo tem oito anos-luz de extensão. Ainda não se sabe exatamente porque os glóbulos cometários têm esse formato.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: