Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,45 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,37 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,28
    -1,66 (-2,13%)
     
  • OURO

    1.754,00
    +8,40 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    16.586,94
    +142,71 (+0,87%)
     
  • CMC Crypto 200

    386,97
    +4,32 (+1,13%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,97 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.486,67
    +20,07 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    17.573,58
    -87,32 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    28.283,03
    -100,06 (-0,35%)
     
  • NASDAQ

    11.782,80
    -80,00 (-0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6244
    +0,0991 (+1,79%)
     

Destaque da NASA: chuva de meteoros Oriônidas é a foto astronômica do dia

Nesta sexta-feira (28), o destaque astronômico no site Astronomy Picture of the Day é uma foto das chuvas de meteoros Oriônidas. O fenômeno é causado por detritos do cometa 1P/Halley (ou apenas “Halley”), que iluminam o céu noturno com pequenos fragmentos dele se queimando na atmosfera.

O cometa Halley é o primeiro identificado como periódico, o que significa que tem período orbital menor que 200 anos. Os cometas deste tipo também são conhecidos como “cometas de período curto”, e têm órbitas bem menores que aquelas dos cometas de período longo, que podem durar um milhão de anos.

Chuvas de meteoros Oriônidas fotografadas de 2015 a 2022 (Imagem: Reprodução/Petr Horalek/Institute of Physics in Opava)
Chuvas de meteoros Oriônidas fotografadas de 2015 a 2022 (Imagem: Reprodução/Petr Horalek/Institute of Physics in Opava)

No caso, o cometa Halley volta para o Sistema Solar a cada 75 anos, em média. Os detritos deixados por ele causam a chuva de meteoros Eta Aquáridas e, claro, a Oriônidas. Neste ano, o pico dos meteoros Oriônidas ocorreu no dia 21 de outubro.

A foto traz um compilado de fotos da chuva de meteoros, fotografada de 2015 a 2022. Há dezenas de meteoros luminosos neste panorama, que brilham em contraste com o céu noturno marcado pela Via Láctea.

O que são chuvas de meteoros?

Os meteoros podem ser entendidos como rochas espaciais que entram na atmosfera da Terra. Conforme viajam pelos gases atmosféricos, a resistência do ar os aquece, fazendo com que sejam queimados. Quando vários meteoros ocorrem de uma só vez, o fenômeno recebe o nome “chuva de meteoros”.

E como vários destes fragmentos vêm para a atmosfera de uma só vez? O segredo está nos cometas: conforme se aproximam do Sol, são aquecidos e perdem partículas de poeira e rochas. Assim, conforme a órbita da Terra cruza a dos cometas algumas vezes por ano, nosso planeta encontra os detritos deles.

As chuvas de meteoros recebem os nomes das constelações de onde eles parecem vir. A Oriônidas, por exemplo, tem este nome porque aparece perto da constelação Orion, o Caçador.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: