Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.316,16
    -1.861,39 (-1,63%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.774,91
    -389,10 (-0,71%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,38
    -1,63 (-2,01%)
     
  • OURO

    1.943,90
    -2,80 (-0,14%)
     
  • BTC-USD

    22.978,55
    -4,06 (-0,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    526,66
    +9,65 (+1,87%)
     
  • S&P500

    4.070,56
    +10,13 (+0,25%)
     
  • DOW JONES

    33.978,08
    +28,67 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.765,15
    +4,04 (+0,05%)
     
  • HANG SENG

    22.688,90
    +122,12 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    27.382,56
    +19,81 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    12.221,00
    +114,25 (+0,94%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5462
    +0,0265 (+0,48%)
     

Destaque da NASA: brilho de cometa e suas caudas é a foto astronômica do dia

Nesta segunda-feira (9), a foto destacada pela NASA traz o cometa C/2022 E3 (ZTF). Ele vem ficando cada vez mais brilhante conforme se aproxima do Sol, e pode ficar visível a olho nu — mas, infelizmente, não será possível observá-lo no hemisfério sul.

Na foto, o destaque fica por conta da beleza das caudas do cometa. Se você observar bem, vai perceber que há quatro delas — três, com tons azulados, são formadas por íons e se estendem para o canto superior direito da imagem.

Confira:

Cometa C/2022 E3 (ZTF) fotografado na última semana (Imagem: Reprodução/Jose Francisco Hernández)(Imagem: Reprodução/Jose Francisco Hernández)
Cometa C/2022 E3 (ZTF) fotografado na última semana (Imagem: Reprodução/Jose Francisco Hernández)(Imagem: Reprodução/Jose Francisco Hernández)

É possível que as caudas de íons tenham sofrido efeitos do vento solar nos íons ejetados pelo núcleo do cometa. Já a outra, com cor clara, aparece no canto superior esquerdo da foto, sendo bem mais curta que as demais. Por fim, o brilho esverdeado pertence ao coma do cometa, composto por gás carbônico gasoso.

O cometa ZTF deverá fazer sua aproximação máxima do Sol no dia 12 de janeiro, e ficará pertinho do nosso planeta no início de fevereiro. Esta não é a primeira visita deste objeto à nossa vizinhança: ele vem da Nuvem de Oort, a região mais distante do Sistema Solar, e esteve por aqui pela última vez há 50 mil anos.

O que é um cometa?

Conhecidos como “bolas de gelo sujas”, os cometas são formados por poeira e rocha que restaram da formação do Sistema Solar. Eles são compostos por um núcleo congelado que é cercado pelo coma, a nuvem de gás e poeira formada conforme o gelo do núcleo é aquecido pelo Sol.

Enquanto o cometa viaja e perde gás e poeira de seu núcleo, a luz solar e as partículas vindas do Sol “empurram” estes materiais, formando longas caudas. Elas são de dois tipos: uma tem cor clara e é formada por poeira, enquanto a outra é azulada e contém íons, moléculas de gás eletricamente carregadas.

Até o momento, os astrônomos já identificaram mais de 3.700 cometas. Entretanto, provavelmente há bilhões deles viajando ao redor do Sol em regiões distantes, como o Cinturão de Kuiper e, como mencionamos, a Nuvem de Oort.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: