Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.496,21
    -2.316,66 (-2,04%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.463,26
    -266,54 (-0,55%)
     
  • PETROLEO CRU

    89,91
    -0,59 (-0,65%)
     
  • OURO

    1.760,30
    -10,90 (-0,62%)
     
  • BTC-USD

    21.044,66
    -2.310,00 (-9,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    504,88
    -36,72 (-6,78%)
     
  • S&P500

    4.228,48
    -55,26 (-1,29%)
     
  • DOW JONES

    33.706,74
    -292,30 (-0,86%)
     
  • FTSE

    7.550,37
    +8,52 (+0,11%)
     
  • HANG SENG

    19.773,03
    +9,12 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    28.930,33
    -11,81 (-0,04%)
     
  • NASDAQ

    13.250,00
    -273,25 (-2,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1885
    -0,0253 (-0,49%)
     

Desmanche do Xperia Pro-I revela reparo muito difícil

·2 min de leitura

O Xperia Pro-I foi lançado como um dos celulares mais inovadores de 2021 ao oferecer câmera com sensor de uma polegada. A Sony aposta alto nas especificações fotográficas dos seus flagships, visando diferenciá-los exatamente pela sua expertise nesse segmento, mas pelo visto isso cobra um preço.

Ele ainda é um smartphone — e de difícil reparo. O desmanche do Xperia Pro-I mostrou que suas entranhas são complexas, e que o usuário deverá acabar optando por assistência especializada caso sua unidade dê defeito.

Inicialmente, a quantidade de parafusos não assusta. Alguns estão vedados por fitas que tornam as placas menos confusas visualmente. Porém, mesmo para mexer na bateria o trabalho é complexo: isso exige desacoplar alguns componentes conectados por cabo flat realmente minúsculo. E em seguida aplicar um solvente para liberar a fita que cola a bateria.

Reparo de tela é ainda mais complexo, vez que para remover a placa lógica principal o usuário precisa desencaixar os módulos de vibração e alguns outros. Os conectores de câmera — sendo quatro — também só são acessíveis pela parte da placa-mãe que fica virada para a tela, tornando reparos realmente trabalhosos.

Além disso, chama a atenção a fragilidade dos cabos flat utilizados. No vídeo de desmanche nenhum ficou danificado — mas o processo foi realizado por alguém habituado ao procedimento.

Sem sistema de resfriamento

Outra curiosidade é que a Sony não se deu ao trabalho de inserir um sistema de resfriamento dedicado para a memória e o processador. Vale lembrar que o celular pode atingir a resolução 4K — algo comum em seus produtos — em determinados serviços, o que exige muito do processador focado em renderizar gráficos, por exemplo.

Por todos esses problemas internos, o Xperia Pro-I ganhou nota 3/10 em reparabilidade. Ele não está disponível no Brasil e nem deverá ficar. Por isso, caso opte pela importação, saiba que a mão de obra para eventuais reparos precisará ser específica para o conserto ser bem-sucedido.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos