Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.451,20
    +74,85 (+0,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.442,21
    +436,10 (+0,97%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,69
    -0,46 (-0,56%)
     
  • OURO

    1.663,00
    -7,00 (-0,42%)
     
  • BTC-USD

    19.448,13
    +338,10 (+1,77%)
     
  • CMC Crypto 200

    444,16
    +15,38 (+3,59%)
     
  • S&P500

    3.719,04
    +71,75 (+1,97%)
     
  • DOW JONES

    29.683,74
    +548,75 (+1,88%)
     
  • FTSE

    7.005,39
    +20,80 (+0,30%)
     
  • HANG SENG

    17.250,88
    -609,43 (-3,41%)
     
  • NIKKEI

    26.354,89
    +180,91 (+0,69%)
     
  • NASDAQ

    11.538,00
    -17,75 (-0,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2269
    -0,0057 (-0,11%)
     

Desfile de moda virtual é criado do zero usando apenas inteligência artificial

O diretor de cinema Paul Trillo postou um vídeo no Twitter mostrando como é possível utilizar sistemas de inteligência artificial (IA) para criar designs de moda completamente viáveis. Ele usou uma versão do programa conhecido como DALL-E 2 para dar vida a um verdadeiro “desfile” virtual.

A ferramenta DALL-E 2 foi liberada recentemente e permite que qualquer pessoa com alguma imaginação crie praticamente tudo o que quiser, bastando apenas digitar algumas palavras de entrada para que o sistema produza imagens coerentes com o texto inserido pelo usuário.

“Em certo sentido, a IA democratiza a criação de imagens para que as pessoas mais verbais possam se expressar visualmente. Ela também oferece aos designers uma maneira de evoluir seu trabalho e seguir caminhos que talvez nunca tenham explorado”, explica Trillo.

Desfile de moda virtual

O vídeo postado no Twitter é composto por uma série impressionante de imagens em stop motion do mundo real, combinadas com as criações sintéticas feitas pelo DALL-E 2. Em 30 segundos, o diretor conseguiu gerar dezenas de roupas diferentes sobrepostas em sequência no corpo da modelo que, aliás, é a artista plástica Shyama Golden, esposa de Trillo.

Modelo "vestindo" a roupa digital criada pelo DALL-E 2 (Imagem: Reprodução/Twitter Paul Trillo)
Modelo "vestindo" a roupa digital criada pelo DALL-E 2 (Imagem: Reprodução/Twitter Paul Trillo)

Para criar as roupas vistas no vídeo, ele usou variações de entradas de texto como guia para a inteligência artificial. Informações como “camiseta grande roxa” ou “macacão retrô futurista” foram utilizadas como parâmetros para que o DALL-E 2 pudesse fazer a sua “mágica”.

“O trabalho generativo com esse tipo de IA é tão rápido que agora podemos ter acesso a um multiverso de ideias que antes só eram possíveis na mente das pessoas. Hoje conseguimos expressar esse pensamento por meio de elementos visuais muito mais próximos da realidade”, acrescenta Trillo.

Processo criativo

Para o diretor, o uso de sistemas de inteligência artificial pode influenciar positivamente no processo criativo da indústria da moda, permitindo que designers desenvolvam toda sua capacidade produtiva diante de uma tela, em apenas uma fração do tempo gasto atualmente com desfiles caros e demorados.

Como DALL-E 2 analisa a estética da imagem original, a iluminação e a perspectiva para criar suas composições, em vez de fabricar peças físicas para modelos de carne e osso, basta inserir algumas palavras com o objetivo desejado e deixar que a inteligência artificial faça todo o trabalho pesado.

“Acredito que o DALL-E 2 não vai tirar o emprego de artistas visuais ou designers. Em vez disso, essa IA pode criar eficiência no trabalho que esses profissionais estão fazendo. Isso abrirá as portas para tipos inteiramente novos de técnicas, além de permitir que projetos de baixo orçamento tenham efeitos visuais incríveis”, prevê Paul Trillo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: