Mercado fechado
  • BOVESPA

    130.207,96
    +766,93 (+0,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.029,54
    -256,92 (-0,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,37
    +0,49 (+0,69%)
     
  • OURO

    1.867,80
    +1,90 (+0,10%)
     
  • BTC-USD

    40.285,66
    +1.278,66 (+3,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.008,10
    +39,26 (+4,05%)
     
  • S&P500

    4.255,15
    +7,71 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    34.393,75
    -85,85 (-0,25%)
     
  • FTSE

    7.146,68
    +12,62 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    29.391,31
    +229,51 (+0,79%)
     
  • NASDAQ

    14.153,00
    +28,25 (+0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1437
    +0,0122 (+0,20%)
     

Desemprego nos EUA cai em maio para 5,8% com 559.000 novos empregos

·2 minuto de leitura
Uma placa chamando por trabalhadores em um restaurante em Annapolis, Maryland, em 12 de maio de 2021

A economia americana acrescentou 559.000 empregos em maio e o índice de desemprego se reduziu a 5,8%, informou nesta sexta-feira (4) o Departamento de Trabalho, em um contexto em que a vacinação em massa contra a covid permitiu reaberturas e contratações nas empresas.

Embora a criação de emprego do mês passado tenha sido mais fraca que o esperado, o relatório mensal aponta uma recuperação das demissões em massa causadas pela pandemia, com uma queda de 431.000 no número de desempregados persistentes, totalizando 3,8 milhões, número que ainda é alto.

Em relação à fevereiro de 2020, quando a pandemia ainda não havia impactado a primeira economia do mundo, há 7,6 milhões de postos de trabalho a menos, segundo o relatório.

Os setores que foram mais gravemente prejudicados pelas restrições comerciais para conter o vírus constituíram a maior parte do avanço no mês passado: lazer e hotelaria somaram 292.000 empregos, dois terços deles em negócios como bares e restaurantes.

As acomodações somaram 35.000 posições, e as empresas de entretenimento, jogos de azar e recreação acrescentaram 58.000.

No entanto, este setor ainda tem 2,5 milhões de empregos a menos em comparação com fevereiro de 2020, de acordo com o relatório.

Em relação aos salários, a remuneração média por hora aumentou 15 centavos, para 30,33 dólares, depois de um aumento de 21 centavos em abril, que o Departamento do Trabalho atribuiu aos esforços das empresas para atrair trabalhadores desempregados de volta ao mercado.

"Os dados dos últimos dois meses sugerem que a crescente demanda de mão de obra associada com a recuperação da pandemia pode ter exercido uma pressão de aumento sobre os salários", diz o relatório oficial, apesar de acrescentar que as demissões causadas pela pandemia "complicam a análise" das tendências salariais.

O Departamento do Trabalho também revisou ligeiramente o aumento da criação de empregos nos meses anteriores. Sendo assim, as novas contratações de março ficaram em 785.000, e abril aumentou para 278.000, um aumento líquido de 27.000 para os dois meses.

cs/hs/mls/gm/aa