Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.031,98
    +267,72 (+0,24%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.638,36
    -215,01 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,37
    -1,04 (-1,16%)
     
  • OURO

    1.793,90
    -4,20 (-0,23%)
     
  • BTC-USD

    24.014,68
    -285,64 (-1,18%)
     
  • CMC Crypto 200

    570,11
    -20,66 (-3,50%)
     
  • S&P500

    4.297,14
    +16,99 (+0,40%)
     
  • DOW JONES

    33.912,44
    +151,39 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.509,15
    +8,26 (+0,11%)
     
  • HANG SENG

    20.040,86
    -134,76 (-0,67%)
     
  • NIKKEI

    28.786,77
    -85,01 (-0,29%)
     
  • NASDAQ

    13.666,25
    -15,00 (-0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1785
    0,0000 (0,00%)
     

Desemprego na Espanha cai para 12,48%, seu nível mais baixo desde 2008

A taxa de desemprego na Espanha caiu no segundo trimestre do ano, para 12,48% da população ativa, em comparação com 13,65% no final de março, o seu nível mais baixo desde 2008, segundo dados oficiais divulgados nesta quinta-feira (28).

No total, 2,92 milhões de pessoas foram registradas como solicitantes de emprego na Espanha no final de junho, na quarta maior economia da zona do euro, o que representa cerca de 255 mil a menos que no trimestre anterior, com uma queda de 8%, informou o Instituto Nacional de Estatística (INE). Em uma taxa interanual, a queda foi de 17,62%.

"O desemprego cai abaixo de 3 milhões pela primeira vez desde 2008", comemorou o presidente do governo espanhol, o socialista Pedro Sánchez, no Twitter.

O Ministério do Trabalho espanhol anunciou no início de junho, ao publicar seus números mensais, que o número de desempregados havia caído abaixo da marca dos três milhões pela primeira vez em 14 anos.

Essa tendência foi atribuída à recuperação da atividade no setor do turismo e à entrada em vigor no mês de janeiro de uma reforma do mercado de trabalho que promoveu contratos de duração indeterminada.

De acordo com o INE, a melhoria foi particularmente forte para a faixa entre os 25 e 54 anos (menos 245.100 solicitantes de emprego).

O número de desempregados com mais de 55 anos caiu 19.600 e na faixa de 20 a 24 anos, 11.500.

O setor que mais se beneficiou com a recuperação foi o de serviços, que inclui o turismo, com 120,7 mil pessoas a menos à procura de emprego.

A situação também melhorou na indústria (-18.100) e na agricultura (-10.000).

Segundo o Ministério da Economia, foram criados 383,3 mil empregos no segundo trimestre. No total, 20,5 milhões de pessoas estavam empregadas no final de junho na Espanha, um nível "que se aproxima do máximo histórico de 2007".

"A grande maioria dos empregos criados no ano passado foi em tempo integral", disse o ministério em comunicado.

O número de pessoas com contratos de duração indeterminada aumentou no último ano em quase um milhão, 600.000 deles apenas no último trimestre.

A Espanha foi uma das economias ocidentais mais atingidas pela pandemia de coronavírus em 2020, com uma queda de 10,8% em seu Produto Interno Bruto (PIB), devido à forte dependência do turismo.

Em 2020, cerca de meio milhão de pessoas perderam o emprego.

vab/du/rs/zm/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos