Mercado abrirá em 1 h 10 min

Desempenho superior do real demonstra pragmatismo de operadores

Davison Santana
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O desempenho superior do real sugere uma postura pragmática dos investidores em relação à moeda, que pode ter mais espaço para se valorizar, apesar de potenciais atritos diplomáticos com uma Casa Branca governada por Joe Biden.

O real subiu 3,5% nas duas últimas sessões, de longe o melhor desempenho entre todas as principais moedas. Isso pode soar estranho, dados os comentários de Joe Biden sobre possíveis sanções ao país devido ao desmatamento e à clara aliança do presidente Jair Bolsonaro com Donald Trump, mas os operadores estão trabalhando com as informações que têm em mãos agora, em vez de fazer suposições sobre o que acontecerá no futuro.

Uma presidência de Biden aumenta as chances de estímulo em um futuro próximo, mesmo com um Senado controlado pelo Partido Republicano. Isso motivou apostas de que o dólar tende a se enfraquecer e que a moeda que parece ter mais espaço para uma rápida virada é o real. A moeda brasileira é a divisa mais depreciada do mundo neste ano, entre as principais, mesmo depois dos ganhos desta semana. O Brasil enfrenta pressão fiscal e a relação dívida/PIB deve crescer acima de 100% este ano, mas as questões fundamentais são locais e não externas. Com mais dólares disponíveis, a tentação de apostar na recuperação de um país que apresenta dados de atividade robustos é muito alta.

Os investidores ficarão de olho nos desafios orçamentários do Brasil e nas manobras do governo para se financiar. A preocupação com o relacionamento do Brasil com os EUA sob um potencial governo Biden pode crescer em relevância, mas apenas em meados do próximo ano.

Esta foi uma publicação no blog Markets Live da Bloomberg. As observações são do blogueiro e não pretendem ser um conselho de investimento. Para obter mais análises de mercado, veja MLIV.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.