Mercado abrirá em 8 h 32 min
  • BOVESPA

    130.207,96
    +766,93 (+0,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.029,54
    -256,92 (-0,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,10
    +0,22 (+0,31%)
     
  • OURO

    1.866,30
    +0,40 (+0,02%)
     
  • BTC-USD

    40.422,51
    +1.311,67 (+3,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.012,34
    +43,50 (+4,49%)
     
  • S&P500

    4.255,15
    +7,71 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    34.393,75
    -85,85 (-0,25%)
     
  • FTSE

    7.146,68
    +12,62 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    28.622,75
    -219,38 (-0,76%)
     
  • NIKKEI

    29.438,27
    +276,47 (+0,95%)
     
  • NASDAQ

    14.143,00
    +18,25 (+0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1473
    +0,0158 (+0,26%)
     

Santos perde na Libertadores e mostra que Diniz terá muito trabalho

·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Santos perdeu por 2 a 1 para o The Strongest (BOL) na noite desta terça-feira (18), em La Paz, e se complicou na Copa Libertadores. Felipe Jonatan descontou para o time alvinegro.

Com a derrota, a equipe estaciona nos 6 pontos e permanece na segunda colocação do Grupo C. O líder Barcelona (EQU), que tem 9, e o terceiro colocado Boca Juniors (ARG), que também soma 6, se enfrentam nesta quinta (20), em Buenos Aires.

Na última rodada da fase de grupos, o time do técnico Fernando Diniz vai ao Equador encarar o Barcelona. Já o The Strongest, que também briga por uma vaga na próxima fase, recebe o Boca na capital boliviana. Ambos os duelos acontecem na próxima quarta (26).

O confronto com os equatorianos poderá marcar a primeira eliminação do Santos nesse estágio do torneio em quase 40 anos. A última vez que o clube caiu ainda na fase de grupos da Libertadores foi na edição de 1984.

Mais do que a situação complicada na competição, o revés para o The Strongest mostrou que Diniz -suspenso nesta terça, na segunda partida do time sob seu comando- terá bastante trabalho para reordenar a equipe de olho na sequência da temporada.

O treinador, porém, não irá dispor de muito tempo para fazer com que o grupo assimile suas ideias.

Na próxima semana, além do duelo decisivo pelo torneio continental, o Santos estreia no Campeonato Brasileiro. Logo na sequência, também tem compromisso pela Copa do Brasil. Um calendário apertado, sem tantas janelas para o trabalho de campo.

Entre as questões mais urgentes para o time alvinegro está o jogo aéreo defensivo, uma debilidade que os santistas escancararam em La Paz.

Enquanto a equipe buscava se adaptar à altura e ao ritmo do The Strongest, os donos da casa se aproveitaram para construir rapidamente a vantagem.

Após cruzamento da direita, o centroavante Blackburn subiu de cabeça e forçou João Paulo a fazer grande defesa. Mas, no rebote, Reinoso só empurrou para abrir o placar, aos 15 minutos de partida. Logo depois, aos 22, os bolivianos ampliaram.

Blackburn recebeu lançamento longo e de novo superou a defesa santista pelo alto. O atacante ajeitou de cabeça para Willie, que finalizou da entrada da área, livre de marcação, para anotar o segundo.

Na primeira rodada da Libertadores, o Boca Juniors já havia castigado o Santos com a bola áerea. Tévez, após cobrança de escanteio desviada na primeira trave, foi quem abriu o placar na derrota para os argentinos por 2 a 0, em Buenos Aires.

O revés no clássico diante do Palmeiras, pelo Paulista, também mostrou uma equipe com falências no jogo aéreo. Matías Viña e Willian anotaram, de cabeça e sem marcação, os dois primeiros gols palmeirenses na vitória alviverde por 3 a 2.

A expulsão de Castillo aos 23 da etapa inicial permitiu ao Santos voltar à partida, mas a equipe, mesmo com a superioridade numérica, sentiu a altitude e teve dificuldades de pressionar o The Strongest, apostando nos chutes de média e longa distância.

Foi dessa forma que Felipe Jonatan, aos 19 minutos do segundo tempo, em linda batida de fora da área, devolveu o clube da Vila Belmiro ao jogo. O gol do lateral esquerdo santista, contudo, foi insuficiente para a reação na capital boliviana.

THE STRONGEST

Daniel Vaca; Saúl Torres, Gonzalo Castillo, Marteli, Valverde e José Sagredo; Richet Gómez e Ramiro Vaca; Willie Barbosa (Arrascaita), Jair Reinoso e Rolando Blackburn (Jesús Segredo). T.: Gustavo Florentín

SANTOS

João Paulo; Pará (Madson), Kaiky (Copete), Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Jean Mota (Ivonei) e Gabriel Pirani (Marcos Leonardo); Ângelo (Allanzinho), Kaio Jorge e Lucas Braga. T.: Fernando Diniz

Estádio: Hernando Siles, em La Paz (BOL)

Árbitro: Diego Haro (PER)

Assistentes: Michael Orue e Jesus Sanchez (PER)

Cartões amarelos: - Valverde (STR); Jean Mota, Kaio Jorge, Copete e Felipe Jonatan (SAN)

Cartões vermelhos: Castillo, aos 23'/1ºT, e Zoch (reserva), aos 22'/2ºT (STR)

Gols: Reinoso (STR), aos 15', Willie (STR), aos 22'/1ºT; Felipe Jonatan (SAN), aos 19'/2ºT