Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    61.348,64
    +388,77 (+0,64%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6872
    -0,0339 (-0,50%)
     

Desempenho evolui e Botafogo ganha moral antes da Copa do Brasil

Sergio Santana
·2 minuto de leitura


Bem-vindo, 2021! O Botafogo fez a "estreia" - no sentido de desempenho satisfatório - na temporada na vitória por 3 a 0 sobre o Resende, neste domingo, pela 2ª rodada do Campeonato Carioca, no Estádio Nilton Santos. Mais do que o resultado positivo, a partida servirá para potencializar o sistema coletivo do Alvinegro antes do primeiro grande compromisso da época.

O Glorioso estreará na Copa do Brasil na próxima quarta-feira diante do Moto Club no Estádio Castelão, no Maranhão. Em formato eliminatório, o duelo será em jogo único, com o Botafogo tendo a vantagem do empate. A moral, é claro, chega elevada após uma vitória por um placar elevado.

Em relação ao duelo diante do Boavista, na 1ª rodada do Carioca, o Botafogo evoluiu ao potencializar a eficiência nas chances de perigo que teve. O clube de General Severiano não dominou a posse, mas não demorava para chegar ao gol adversário quando tinha a bola, sendo um perigo principalmente pelos lados do campo.

Neste sentido, Warley e Ronald - no primeiro tempo, substituído por Ênio no intervalo - foram fundamentais para a construção de jogo do Alvinegro. Com laterais ainda tímidos no apoio, o sistema ofensivo era meramente baseado nas corridas em profundidade dos pontas. O Botafogo teve uma evolução considerável nas transições em velocidade.

Um fator que ajudou neste sentido foi a entrada de Pedro Castro. O meio-campista fez a estreia no Botafogo atuando como segundo volante e foi o responsável por ligar a área central do gramado com o setor ofensivo, sendo o cérebro da equipe. Com a bola girando mais, o Alvinegro, consequentemente, apresentou mais jogadas de perigo.

Com um time mais fluido com a bola no pé, o Botafogo chegou à meta rival com mais velocidade. O placar, inclusive, poderia ter sido mais elástico. O desempenho coletivo dos comandados de Marcelo Chamusca ter evoluído, vale ressaltar, é a melhor notícia que o Alvinegro pôde ter recebido antes de uma partida pela Copa do Brasil.