Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.518,40
    -1.057,07 (-0,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.678,62
    +4,32 (+0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,47
    -0,06 (-0,13%)
     
  • OURO

    1.784,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    19.338,84
    +987,39 (+5,38%)
     
  • CMC Crypto 200

    379,84
    +15,24 (+4,18%)
     
  • S&P500

    3.617,48
    -20,87 (-0,57%)
     
  • DOW JONES

    29.564,27
    -346,10 (-1,16%)
     
  • FTSE

    6.266,19
    -101,39 (-1,59%)
     
  • HANG SENG

    26.341,49
    -553,19 (-2,06%)
     
  • NIKKEI

    26.433,62
    -211,09 (-0,79%)
     
  • NASDAQ

    12.283,00
    +25,50 (+0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3918
    +0,0172 (+0,27%)
     

Descoberta de fóssil mostra que dinossauros podem ter cruzado oceanos a nado

Natalie Rosa
·2 minuto de leitura

A descoberta de fósseis de dinossauros com bico de pato, onde hoje é a África, indicam que essas espécies viajaram por centenas de quilômetros entre os oceanos até chegarem lá. A criatura em questão é o Ajnabia odysseus, herbívoro, e seus ossos foram encontrados em uma mina no Marrocos, existindo há 66 milhões de anos, no final do período Cretáceo.

Em comparação com outros dinossauros com bico de pato, que podiam chegar a até 15 metros de comprimento, o Ajnabia era pequeno, medindo apenas três metros. De acordo com os pesquisadores, o animal evoluiu, inicialmente, na América do Norte, se espalhando posteriormente na América do Sul, Ásia e Europa. Mas como ele foi parar no continente africano?

<em>Imagem: Reprodução/University of Bath</em>
Imagem: Reprodução/University of Bath

Nicholas Longrich, conferente sênior do Milner Centre for Evolution da Universidade de Bath e líder do estudo, diz que o fóssil do dinossauro foi encontrado em um local bem improvável, o equivalente a encontrar um canguru na Escócia, e que a África era completamente isolada por água. Então, os cientistas estudaram os dentes e a mandíbula do Ajnabia, determinando que ele pertencia à subfamília Lambeosaurinae, grupo de dinossauros hadrossaurídeos com crista.

Segundo especialistas, os dinossauros com bico de pato poderiam facilmente cruzar centenas de quilômetros em mar aberto para alcançar o continente, graças às suas largas caudas e pernas poderosas. O caminho pode ter sido percorrido a nado, flutuação e subindo pelos escombros. Longrich diz que era impossível caminhar até a África.

<em>Imagem: Reprodução/Raul Martin</em>
Imagem: Reprodução/Raul Martin

"Esses dinossauros evoluíram muito tempo depois que uma deriva continental dividiu os continentes, e não há evidências de pontes terrestres. A geologia nos diz que a África era isolada por oceanos. Então, a única forma de chegar lá era pela água", explica o cientista. Outros estudos também já mostraram que mamíferos como macacos e roedores, por exemplo, fizeram travessias marítimas longas e traiçoeiras de continente a continente. Essa é a primeira vez, no entanto, que é sugerido que o mesmo aconteceu com os dinossauros.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: