Mercado abrirá em 23 mins
  • BOVESPA

    98.657,65
    +348,53 (+0,35%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    37.655,45
    -221,04 (-0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    40,98
    +0,15 (+0,37%)
     
  • OURO

    1.908,10
    -3,60 (-0,19%)
     
  • BTC-USD

    11.784,70
    +727,69 (+6,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    238,48
    +4,81 (+2,06%)
     
  • S&P500

    3.426,92
    -56,89 (-1,63%)
     
  • DOW JONES

    28.195,42
    -410,89 (-1,44%)
     
  • FTSE

    5.900,99
    +16,34 (+0,28%)
     
  • HANG SENG

    24.569,54
    +27,28 (+0,11%)
     
  • NIKKEI

    23.567,04
    -104,09 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    11.723,50
    +73,25 (+0,63%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6043
    +0,0054 (+0,08%)
     

Deschamps tenta amenizar crise França x PSG, mas avisa: "Ninguém foi desrespeitado"

·2 minutos de leitura

Apesar das vitórias da França nas duas primeiras rodadas da Liga das Nações da UEFA, o clima na seleção não é dos melhores. Isso porque Leonardo, diretor do PSG, reclamou publicamente da postura da Federação Francesa de Futebol (FFF) após Mbappé ser diagnosticado com o novo coronavírus. Agora, Didier Deschamps, técnico da seleção, tentou amenizar a crise, mas deixou claro que ninguém foi desrespeitado, como afirmou Leonardo.

Após jogar a primeira rodada da Nations League e fazer o gol da vitória por 1 a 0 diante da Suécia, Kylian Mbappé obteve resultado positivo para o novo coronavírus e foi afastado do restante da delegação francesa.

Porém, de acordo com Leonardo, o PSG soube apenas pela imprensa do ocorrido e não foi comunicado por nenhum membro da FFF. Então, o dirigente foi a público nesta terça-feira (9) e reclamou da “inaceitável” postura da França. Após a crítica, Didier Deschamps também se pronunciou a respeito do episódio e deu sua versão sobre os fatos.

“Não, não é difícil [a relação com o PSG]. No final do treino, Kylian (Mbappé) recebeu o resultado e saímos com pressa, o isolamos do resto do grupo. Cuidamos para que ele voltasse para casa. Para qualquer resultado positivo precisamos de uma confirmação do laboratório”, explicou o treinador em coletiva após a vitória por 4 a 2 diante da Croácia.

“Leva tempo porque eles fazem uma nova análise. Recebemos essa confirmação por volta das 22 horas e alguém divulgou a informação. Para não espalharmos por aí, decidimos lançar um comunicado. Foi o que aconteceu. Estávamos com pressa. Não estou procurando desculpas”.

Deschamps/Mbappe France 2020
Deschamps/Mbappe France 2020
Foto: Getty Images

Além de dizer que o episódio foi inaceitável, Leonardo afirmou que houve falta de respeito com o PSG. Mas Deschamps não pensa desta maneira.

“Tínhamos que esperar pela confirmação. Imagine se houver um ou dois casos mais, nunca se sabe. Lamento pelos líderes do PSG, mas em nenhum momento posso considerar que alguém foi desrespeitado. É uma emergência e o resultado final é a saúde de Kylian. O contexto ocupou muito tempo. Mas em nenhum momento desrespeitamos ninguém”, afirmou.

O treinador também foi perguntado sobre a possibilidade de outros jogadores da seleção contraírem o novo coronavírus, após o resultado de Mbappé, mas afirmou que tudo o que está previsto no protocolo foi feito pela seleção.

"Casos positivos de Covid-19 existem por toda parte. Não acontece só na França. Fizemos questão de fazer as coisas previstas no protocolo de saúde, tomando as medidas necessárias. Espero que não ( haja outros jogadores positivos)”.

Após os dois jogos realizados da Liga das Nações, os jogadores retornarão a seus clubes para a disputa das ligas nacionais. No PSG, Mbappé se junta a Neymar, Marquinhos, Icardi, Paredes, Di María e Keylor Navas, todos confirmados com o novo coronavírus. A estreia do Paris na Ligue 1 acontece nesta quinta-feira (10), contra o Lens.