DeSantis em Iowa, uma turnê com vislumbres de campanha presidencial

O governador da Flórida, Ron DeSantis, posa para fotos com simpatizantes depois de discursar em um comício em Sioux Center, Iowa, centro dos Estados Unidos, em 12 de maio de 2023
O governador da Flórida, Ron DeSantis, posa para fotos com simpatizantes depois de discursar em um comício em Sioux Center, Iowa, centro dos Estados Unidos, em 12 de maio de 2023

O vendedor Rick Lemmon escuta atentamente enquanto o governador da Flórida, Ron DeSantis, apresenta suas ideias para uma multidão no estado rural de Iowa, no centro dos Estados Unidos.

"Ele seria um ótimo candidato a presidente", declara Lemmon à AFP após ouvi-lo.

Os valores conservadores de DeSantis, sua postura firme em relação à imigração e sua oposição ao aborto atraem esse homem de 60 anos que usa um chapéu de cowboy.

"Ele cumpre todos os requisitos para mim", diz Lemmon sobre o que espera de um candidato presidencial.

Os Estados Unidos só elegerão seu próximo presidente em novembro de 2024, mas a efervescência das eleições já é sentida no ar úmido da cidade agrícola de Sioux Center.

DeSantis, uma figura emergente do Partido Republicano, foi o convidado de honra em um evento político no sábado organizado por Randy Feenstra, congressista por Iowa.

Embora DeSantis ainda não tenha oficializado sua campanha presidencial, as camisetas, bonés e cartazes com o lema "DeSantis 2024" que abundam na sala tornaram o anúncio uma mera formalidade.

A viagem do governador da Flórida a Iowa alimenta ainda mais as expectativas de que ele se candidatará ao cargo.

Conhecido por seus campos de milho, Iowa desempenha um papel fundamental no surgimento de líderes políticos.

É o primeiro estado a realizar uma primária do Partido Republicano, e vencer em Iowa garante aos candidatos presidenciais um impulso valioso para sua campanha.

DeSantis subiu ao palco com uma camisa azul, jeans e botas, e recitou o que parecia ser seu manifesto político.

Defendeu o direito de portar armas e prometeu lutar contra a "ideologia transgênero", promessas incluídas no manual conservador que guia sua administração na Flórida.

Recebeu uma rodada de aplausos quando disse que, se fosse o presidente Joe Biden, "fecharia a fronteira (com o México) imediatamente".

Um nome que nem sequer passou por sua boca foi o do ex-presidente republicano Donald Trump (2017-2021), seu rival no partido que figura muito à frente nas pesquisas.

Estava previsto que o magnata realizasse um comício em Iowa no sábado em uma cidade a algumas horas de carro, mas o evento acabou sendo cancelado devido a um aviso de tornado.

Em seu comício, DeSantis permitiu-se apenas algumas alusões veladas a Trump, por exemplo, ao dizer que "governar não se trata de entreter o público".

"Governar não se trata de construir uma marca ou falar nas redes sociais e ressaltar virtudes", destacou.

"Em última análise, trata-se de ganhar e produzir resultados", acrescentou.

led/tjj/dhw/llu/gc/ic