Mercado abrirá em 48 mins
  • BOVESPA

    121.801,21
    -1.775,35 (-1,44%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.195,43
    -438,48 (-0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,00
    -0,15 (-0,22%)
     
  • OURO

    1.816,10
    +1,60 (+0,09%)
     
  • BTC-USD

    38.109,11
    -289,70 (-0,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    945,57
    +18,80 (+2,03%)
     
  • S&P500

    4.402,66
    -20,49 (-0,46%)
     
  • DOW JONES

    34.792,67
    -323,73 (-0,92%)
     
  • FTSE

    7.113,07
    -10,79 (-0,15%)
     
  • HANG SENG

    26.204,69
    -221,86 (-0,84%)
     
  • NIKKEI

    27.728,12
    +144,04 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.107,00
    +33,50 (+0,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0851
    -0,0332 (-0,54%)
     

Desaceleração da inflação na zona do euro é confirmada; superávit comercial cai

·1 minuto de leitura
Shopping center em Rhein, Alemanha

BRUXELAS (Reuters) - A inflação na zona do euro desacelerou em junho após uma aceleração constante nos primeiros meses de 2021, confirmaram dados oficiais nesta sexta-feira, enquanto o superávit comercial do bloco recuou em maio devido à queda nas exportações.

A agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat, informou que os preços ao consumidor na zona do euro subiram 1,9% em junho ante o ano anterior, um pouco abaixo do aumento de 2,0% em maio, na primeira desaceleração desde setembro do ano passado.

Os dados finais confirmaram a estimativa inicial divulgada pela Eurostat em 30 de junho.

Uma medida do núcleo da inflação, que exclui os componentes mais voláteis de energia e alimentos, foi confirmada em 0,9% em junho. A medida mais restritiva, também excluindo os preços do álcool e do tabaco, também se confirmou em 0,9%, pouco abaixo de 1,0% em maio.

Em comunicado à parte, a agência informou que a balança comercial de bens da zona do euro com o resto do mundo registrou um superávit menor em maio do que em abril.

Em maio, o bloco exportou 188,2 bilhões de euros em bens e importou 180,7 bilhões de euros, com um superávit de 7,5 bilhões de euros.

Em abril, o superávit havia sido de 10,9 bilhões de euros, grande parte devido ao maior volume de exportações.

(Por Francesco Guarascio )

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos