Mercado fechado

Deputados erguem novamente a charge quebrada por Coronel Tadeu

Charge quebrada foi recolocada na parede em ato de repúdio (Foto: Reprodução/Twitter @PSOLnacamara)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Ato de repúdio aconteceu no Dia da Consciência Negra

  • ‘Muito obrigado’, escreveu o autor da charge

Em ato de repúdio à atitude do deputado federal Coronel Tadeu (PSL-SP), que quebrou uma placa que fazia parte de uma exposição em homenagem ao Dia da Consciência Negra, deputados da oposição recolocaram o painel quebrado nas paredes da Câmara.

O protesto aconteceu na tarde de quarta-feira (20), um dia depois do ato do coronel. Além de recolocarem a placa no lugar de onde foi retirada, deputados do PT, PCdoB e PSOL colaram pela parede várias reproduções da charge que mostra um policial se afastando com uma arma depois de atirar em um jovem algemado enrolado em uma bandeira do Brasil, assim como outras denúncias de racismo e violência policial. Eles também caminharam com militantes do movimento negro até o local de onde o quadro foi retirado gritando "racistas, fascistas, não passarão".

Leia também

Os deputados que participaram da ação a divulgaram em suas redes sociais:

Em resposta, o autor da charge, Carlos Latuff, se disse emocionado:

Também no Dia da Consciência Negra, o Partido dos Trabalhadores apresentou uma representação no Conselho de Ética da Câmara contra Coronel Tadeu por quebra de decoro parlamentar. No documento, consta que "os parlamentares foram surpreendidos com atos de extrema violência praticados pelo representado".

"Trata-se de um crime repugnante e que atinge não apenas a população negra, mas toda a sociedade brasileira", diz o documento assinado pela deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR).

De acordo com levantamento feito pelo jornal O Globo com dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), policiais militares e civis mataram 5.159 pessoas em 2017, em serviço ou fora. Naquele ano, para cada dois policiais militares ou civis executados, outras 28 pessoas foram mortas por eles.