Mercado abrirá em 3 h 37 min
  • BOVESPA

    106.858,87
    +1.789,18 (+1,70%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.605,56
    +8,27 (+0,02%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +1,29 (+1,86%)
     
  • OURO

    1.783,30
    +3,80 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    51.080,25
    +2.490,94 (+5,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.321,14
    +60,98 (+4,84%)
     
  • S&P500

    4.591,67
    +53,24 (+1,17%)
     
  • DOW JONES

    35.227,03
    +646,95 (+1,87%)
     
  • FTSE

    7.289,16
    +56,88 (+0,79%)
     
  • HANG SENG

    23.981,99
    +632,61 (+2,71%)
     
  • NIKKEI

    28.455,60
    +528,23 (+1,89%)
     
  • NASDAQ

    16.035,50
    +192,75 (+1,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4259
    +0,0023 (+0,04%)
     

Deputado do PT pede cassação de colega que chamou papa e arcebispo de 'safados' e 'pedófilos'

·3 min de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 26.04.2018: Entrevista com o parlamentar Frederico D'Ávila (PSL) em São Paulo. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 26.04.2018: Entrevista com o parlamentar Frederico D'Ávila (PSL) em São Paulo. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O deputado estadual Paulo Fiorilo (PT) entrou com uma representação junto ao Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo) contra o parlamentar Frederico d'Avila (PSL) por quebra de decoro.

Em discurso na semana passada, o deputado bolsonarista chamou o papa Francisco e o arcebispo de Aparecida (SP), dom Orlando Brandes, de “pedófilos”, “vagabundos” e “safados".

"A vociferação agressiva do deputado Frederico d´Avila contra o arcebispo dom Orlando Brandes, contra a CNBB [Conferência Nacional dos Bispos do Brasil] e contra o papa Francisco em muito extrapola o seu direito de expressão como deputado estadual", afirma Fiorilo em sua representação.

"Desta forma, excede o manto da sua imunidade parlamentar, o que caracteriza a quebra de decoro", segue o petista, que pede que d'Avila seja punido com a perda de seu mandato.

Ao menos outros dois deputados, Emidio de Souza (PT) e Luiz Fernando (PT), também representaram contra d'Avila.

As declarações do parlamentar do PSL foram dadas em reação a críticas feitas por Brandes em sermão de missa no feriado de 12 de outubro.

“Seu vagabundo, safado da CNBB, dando recadinho para o presidente [Jair Bolsonaro], para a população brasileira, que pátria amada não é pátria armada. Pátria amada é a pátria que não se submete a essa gentalha, seu safado”, afirmou d'Avila na tribuna da Assembleia.

“Seu vagabundo, safado, que se submete a esse papa vagabundo também. A última coisa que vocês tomam conta é do espírito e do bem-estar e do conforto da alma das pessoas. Você acha que é quem para ficar usando a batina e o altar para ficar fazendo proselitismo político? Seus pedófilos, safados. A CNBB é um câncer que precisa ser extirpado do Brasil”, seguiu.

Em Aparecida, antes de visita do presidente Jair Bolsonaro ao local, o arcebispo pregou: "Vamos abraçar os nossos pobres e também nossas autoridades para que juntos construamos um Brasil pátria amada. E para ser pátria amada não pode ser pátria armada".

O religioso fez alertas sobre o armamento da população, o discurso de ódio e as notícias falsas e defendeu a ciência e a vacinação contra o coronavírus.

No mesmo dia, mas à tarde, Bolsonaro esteve no Santuário Nacional de Aparecida, onde foi recebido com aplausos e vaias, e ouviu um outro sermão com referências à situação atual do país, incluindo o desemprego e a pandemia.

Em carta divulgada no domingo, a CNBB pediu ao presidente da Assembleia, Carlão Pignatari, que adote medidas contra d’Avila.

A entidade afirma que também vai levar o assunto à Justiça, por meio de uma interpelação, para que o deputado preste esclarecimentos sobre as ofensas e acusações.

“Com ódio descontrolado, o parlamentar atacou o Santo Padre o Papa Francisco, a CNBB, e particularmente o Exmo. e Revmo. Sr. Dom Orlando Brandes, arcebispo de Aparecida. Feriu e comprometeu a missão parlamentar, o que requer imediata e exemplar correção pelas instâncias competentes”, diz a CNBB.

“A CNBB, respeitosamente, espera dessa egrégia casa legislativa, confiando na sua credibilidade, medidas internas eficazes, legais e regimentais, para que esse ultrajante desrespeito seja reparado em proporção à sua gravidade —sinal de compromisso inarredável com a construção de uma sociedade democrática e civilizada”, segue.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos