Mercado fechado

Deputado do PSL destrói quadro de exposição sobre racismo na Câmara

Andrea Jubé

Aos gritos de "racista", deputados de oposição anunciaram que irão representar contra Coronel Tadeu no Conselho de Ética O deputado federal Coronel Tadeu (PSL-SP) depredou nesta terça-feira um quadro de uma exposição sobre racismo mondada no corredor de acesso ao Anexo 2 da Câmara por ocasião do Dia da Consciência Negra (20 de novembro).

O quadro, arrancado da parede e quebrado ao meio pelo deputado, denunciava "o genocídio da população negra" no Brasil, com informações do Atlas da Violência e uma ilustração do cartunista Carlos Latuff – que retrata um jovem negro estirado no chão depois de ser baleado por um policial militar.

Reprodução / Twitter

Os deputados David Miranda (Psol-RJ), Talíria Petrone (Psol-RJ), Benedita da Silva (PT-RJ) e Jandira Feghali (PCdoB-RJ) chamaram a Polícia Legislativa para documentar o ato de vandalismo. O quadro depredado ficou no chão.

Aos gritos de "racista", os deputados anunciaram que irão representar contra Coronel Tadeu no Conselho de Ética da Câmara. O grupo queria a presença do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), no local, mas ele estava de saída para um compromisso com o ministro da Justiça, Sergio Moro.

Talíria citou o resultado do inquérito da Polícia Civil que investigou a morte de Ágatha Félix, de 8 anos, que conclui que a menina foi atingida por um tiro de fuzil de um cabo da PM do Rio de Janeiro, sem que houvesse tiroteio que justificasse qualquer disparo.

Initial plugin text

Os deputados lembraram o gesto de um correligionário do Coronel Tadeu, o deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), que durante a campanha quebrou uma placa que homenageava a vereadora Marielle Franco, assassinada em março do ano passado.

Egresso da PM de São Paulo, Coronel Tadeu é defensor de policiais civis e militares. Da ala bivarista do PSL, ele rompeu com os bolsonaristas, mas não faz oposição ao presidente Jair Bolsonaro.

Em sua conta no Twitter, o deputado postou um vídeo do momento em que arranca o quadro da parede da exposição. “Isso aqui não vai ficar na parede, isso aqui é contra a polícia”, diz em meio a palavrões. “Vou queimar esse cartaz que não deveria estar aqui.”

Initial plugin text