Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.177,55
    -92,52 (-0,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    55.189,34
    +317,98 (+0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,11
    +0,96 (+1,20%)
     
  • OURO

    1.929,90
    -12,70 (-0,65%)
     
  • BTC-USD

    23.045,12
    +98,58 (+0,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    523,35
    -3,84 (-0,73%)
     
  • S&P500

    4.060,43
    +44,21 (+1,10%)
     
  • DOW JONES

    33.949,41
    +205,57 (+0,61%)
     
  • FTSE

    7.761,11
    +16,24 (+0,21%)
     
  • HANG SENG

    22.566,78
    +522,13 (+2,37%)
     
  • NIKKEI

    27.362,75
    -32,26 (-0,12%)
     
  • NASDAQ

    12.080,25
    +207,00 (+1,74%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5193
    -0,0195 (-0,35%)
     

Deputado Aguinaldo Ribeiro deve retomar relatoria da reforma tributária

***ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF,  BRASIL,  15-08-2019, O deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), líder da maioria na câmara, durante entrevista à folha em seu gabinete. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, BRASIL, 15-08-2019, O deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), líder da maioria na câmara, durante entrevista à folha em seu gabinete. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Estabelecida como prioridade legislativa da gestão de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), a reforma tributária deve voltar à relatoria do deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP-PB).

Aguinaldo foi quem relatou o texto de autoria do deputado Baleia Rossi (MDB-SP), construído com a contribuição do economista Bernard Appy.

Baleia afirma que há condições de concluir a tramitação até o final deste ano. Segundo ele, os presidentes da Câmara e do Senado, Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (PSD-MG), respectivamente, já vêm conversando para dar celeridade ao assunto.

O deputado foi relator na comissão especial da Câmara aberta para discutir o assunto. Ele chegou a ler um relatório final, mas Lira encerrou o colegiado no mesmo dia, atendendo a uma demanda do governo de Jair Bolsonaro (PL).

Parlamentares com conhecimento sobre o assunto afirmam que as mágoas foram superadas e que a escolha de Aguinaldo para relatar o texto foi do próprio presidente da Câmara.