Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,83 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,39 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,98
    +1,48 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.793,10
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    60.206,88
    -1.323,53 (-2,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,69 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,94 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.324,00
    -154,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5808
    -0,0002 (-0,00%)
     

Depois de Trump, democratas querem limitar poderes do presidente ds EUA

·1 minuto de leitura
Apoiadores do ex-presidente norte-americano Donald Trump protestando em Washington, EUA

Por Patricia Zengerle

WASHINGTON (Reuters) - Parlamentares democratas da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos apresentaram um projeto de lei, nesta terça-feira, com o objetivo de diminuir os poderes da Presidência, depois do que membros do partido viram como abusos da Casa Branca durante o governo do ex-presidente Donald Trump, um republicano.

A presidente da Câmara, Nancy Pelosi, e o deputado Adam Schiff disseram que a "Lei Protegendo nossa Democracia" restauraria o equilíbrio de poder entre o Executivo e o Legislativo, que está descrito na Constituição dos EUA.

Entre outros pontos, a legislação estabeleceria novos limites ao uso de indultos presidenciais em casos que envolvem desacato ou obstrução do Congresso, proibiria autoindultos do presidente e fortaleceria medidas para evitar interferência eleitoral estrangeira.

O projeto de lei também aumentaria a proteção de delatores, salvaguardaria a independência dos inspetores-gerais e fortaleceria a supervisão parlamentar do uso de declarações de emergência.

Durante seu governo, Trump demitiu vários inspetores-gerais, que são encarregados de combater a corrupção em agências federais. Ele também declarou diversas emergências nacionais, inclusive na fronteira com o México para forçar a transferência de fundos militares para construir um muro no local e outra para as relações com o Irã para driblar a revisão parlamentar de vendas militares para a Arábia Saudita.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos