Mercado abrirá em 2 h 11 min
  • BOVESPA

    120.933,78
    -180,15 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.072,62
    -654,36 (-1,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,00
    +0,62 (+0,98%)
     
  • OURO

    1.770,40
    -0,20 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    56.059,39
    -828,70 (-1,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.265,56
    -33,39 (-2,57%)
     
  • S&P500

    4.163,26
    -22,21 (-0,53%)
     
  • DOW JONES

    34.077,63
    -123,04 (-0,36%)
     
  • FTSE

    6.933,87
    -66,21 (-0,95%)
     
  • HANG SENG

    29.135,73
    +29,58 (+0,10%)
     
  • NIKKEI

    29.100,38
    -584,99 (-1,97%)
     
  • NASDAQ

    13.851,25
    -46,00 (-0,33%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6850
    +0,0093 (+0,14%)
     

Depois da Butanvac, governo anuncia uma nova candidata a vacina da COVID-19

Natalie Rosa
·1 minuto de leitura

Nesta sexta-feira (26), o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, anunciou que uma nova vacina contra a COVID-19 fez a solicitação à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para obter a aprovação de testes em pessoas voluntárias. O anúncio aconteceu no dia seguinte ao da nova vacina brasileira desenvolvida pelo Butantan, a Butanvac.

A vacina em questão se chama Versamune®️-CoV-2FC e foi desenvolvida pelas empresas Farmacore Biotecnologia, do Brasil, e a PDS Biotechnology Corporation, dos Estados Unidos, em colaboração com a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da Universidade de São Paulo (FMRP-USP).

<em>Imagem: Reprodução/microgen/Envato</em>
Imagem: Reprodução/microgen/Envato

O novo imunizante atua com a mesma tecnologia da Novavax, cultivando réplicas da proteína spike, usada pelo coronavírus para invadir as células, que são extraídas, purificadas e revestidas em nanopartículas do tamanho do vírus. "A vacina demonstrou capacidade de ativar todo o sistema imunológico — imunidade humoral, celular e inata, induzir a memória imunológica e proteção a longo prazo", diz o governo federal, em nota.

De acordo com o ministro, os desenvolvedores do novo imunizante enviaram os primeiros documentos à agência ainda no dia 13 de fevereiro, com a autorização sendo requisitada na quinta-feira (25) para testes clínicos das duas primeiras fases. A Anvisa, que já confirmou ter recebido tais documentos, afirmou ainda que o projeto de vacina será analisado com base no número de participantes e nos dados de segurança obtidos até então nos testes iniciais, que são feitos em animais e em laboratório.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: