Mercado abrirá em 8 h 19 min

Depois de 20 anos, Jack Ma deixa comando do império Alibaba

Venus Feng

Jack Ma deixa o comando do Alibaba Group depois de liderar um espetacular processo que o transformou na segunda pessoa mais rica da Ásia.

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

O ex-professor de inglês renunciou ao cargo de presidente do conselho de administração da maior empresa da China em seu aniversário de 55 anos, depois de acumular uma fortuna de US$ 41,8 bilhões - um tesouro superado na Ásia apenas pelo indiano Mukesh Ambani, de acordo com Índice de Bilionários Bloomberg.

Leia também

Sua ascensão meteórica de um empreendedor que trabalhava em seu apartamento em 1999 a um magnata do comércio eletrônico é digna de entrar para os livros de história, espelhando a própria evolução da China.

Ao longo de duas décadas, Ma e os cofundadores do Alibaba transformaram um marketplace business-to-business em um titã de US$ 460 bilhões que superou EBay e Amazon.com. O Alibaba opera uma das maiores empresas de computação em nuvem do mundo e administra uma rede de logística que entrega milhões de encomendas todos os dias. O empresário mais famoso do país entregou o bastão na terça-feira ao CEO do Alibaba, Daniel Zhang -- uma transição importante para a maior companhia da Ásia.

Ma se tornou a pessoa mais rica da Ásia em 2016, ultrapassando Wang Jianlin, presidente do conselho do conglomerado Dalian Wanda. O título agora pertence a Ambani, presidente do conselho da Reliance Industries, cuja fortuna soma US$ 47,4 bilhões, de acordo com o ranking da Bloomberg com as 500 pessoas mais ricas do mundo.

Ma não é a única pessoa a ficar rica com o fabuloso império do Alibaba. A trajetória da empresa, em certo momento, criou pelo menos outros 10 bilionários em seu ecossistema, que inclui uma empresa de entrega de encomendas, um supermercado e uma unidade de pagamentos on-line. Apesar de deixar o cargo, espera-se que Ma continue sendo fundamental para uma máquina industrial em expansão, tendo como foco o comércio eletrônico.

"Neste momento, ainda é improvável que Zhang tome decisões importantes sem o apoio de Ma", disse Brock Silvers, diretor-gerente da Kaiyuan Capital, consultoria em investimentos com sede em de Xangai.